PUBLICIDADE
Futebol
NOTÍCIA

Reunião com a Conmebol deixa secretário do Esporte esperançoso quanto a final da Sul-Americana em Fortaleza

Rogério Pinheiro citou jogo entre Fortaleza e Independiente como experiência positiva da entidade Sul-Americana quanto ao Castelão e falou sobre a documentação do dossiê de candidatura

Brenno Rebouças
20:40 | 26/05/2020
Rogério Pinheiro, secretário de Esporte e Juventude do Estado (Sejuv), disse que sonha com uma final de Sul-Americana no Castelão (Foto: Tatiana Fortes)
Rogério Pinheiro, secretário de Esporte e Juventude do Estado (Sejuv), disse que sonha com uma final de Sul-Americana no Castelão (Foto: Tatiana Fortes)

Foi apenas o primeiro passo, mas a reunião dos representantes da candidatura de Fortaleza para receber a final da Copa Sul-Americana nos próximos três anos (2021 - 2023) com a Conmebol deixou o secretário do Esporte e Juventude do Estado, Rogério Pinheiro, animado.

Em entrevista ao programa Futebol do Povo, nesta terça-feira, 26, o secretário disse acreditar que o Castelão, assim como os demais estádios brasileiros, partem na frente, por terem sido reformados ou construídos para uma Copa do Mundo recentemente (atendem todos os pré-requisitos necessários).

A experiência recente da entidade Sul-Americana em Fortaleza é vista pelo secretário como ponto forte para a candidatura local. “No jogo entre Fortaleza e Independiente-ARG, tivemos bastante contato com a equipe organizadora e a impressão com que eles saíram daqui foi a melhor possível. A partir da recepção da equipe, a disponibilidade de todo o estádio para que pudessem executar as atividades deles, tudo deixou essa impressão bastante positiva. É lógico que os critérios são todos técnicos, toda a documentação e informações são iguais para todos”, disse.

E a lista de documentos é extensa. Rogério Pinheiro revelou que a Conmebol repassou uma lista com 45 páginas que elencam 18 cartas para serem cumpridas por autoridades dos governos estadual e municipal, de segurança pública e Federação Cearense de Futebol. Um questionários com 200 perguntas também precisa ser respondido. O prazo para enviar o dossiê e concorrer é até sexta-feira, 29.

Além do Castelão em si, o titular da Secretaria do Esporte e Juventude do Ceará (Sejuv) diz que a cidade tem pontos fortes para brigar pelo evento internacional. "Fortaleza hoje tem a seu favor sua localização, hoje temos a questão do hub aéreo, temos um dos aeroportos mais modernos do Brasil (...) e sem falar de todo o nosso turismo, questão dos hotéis e todas as opções que a gente pode ofertar para o público nessa final, hoje pra mim tão sonhada", comentou Rogério.

O único ponto que preocupa o secretário é o que foge do controle dos governos estadual e municipal. “Tem questões que dependem da esfera federal, alguma isenção de impostos, direito de marca, que não são exclusivos e da alçada nem estadual, nem municipal. O presidente Mauro Carmélio (da FCF) já se prontificou a fazer um contato com a CBF para que ela possa mediar isso junto a Conmebol, já que isso é um problema não só de Fortaleza, mas de todos os estádios e municípios que estão pleiteando receber essas finais", concluiu.

No Brasil, o Castelão concorrerá com o Mané Garrincha, de Brasília, a Arena da Baixada, em Curitiba, o Beira-Rio, em Porto Alegre, a Arena Pernambuco, no Recife, a Fonte Nova, em Salvador e o Maracanã, no Rio de Janeiro.

Os concorrentes internacionais são: La Bombonera, Monumental de Nuñez, Pedro Bidegain, Libertadores de América, Presidente Perón, Único de Santiago del Estero (Argentina); Nacional (Chile), Monumental e Nacional (Peru), Rodrigo Paz Delgado (Equador).