Participamos do

Big Brother USA: participantes negros se unem e conquistam Top 6

O grupo chamado de "Cookout" se juntou com o objetivo de fazer com que pela primeira vez um participante negro vencesse o programa
15:50 | Set. 10, 2021
Autor Ana Flávia Marques
Foto do autor
Ana Flávia Marques Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Assim como na edição brasileira, o Big Brother USA contou com o maior número de participantes negros da história do programa. Além disso, o programa terá pela primeira vez um vencedor negro, pois os seis brothers restantes, que são todos negros, criaram uma aliança durante o jogo que os possibilitaram permanecer no reality.

Diferente do Big Brother Brasil, os próprios participantes decidem quem sai e quem continua no jogo na versão estadunidense. De maneira discreta, Azah Awasum, Derek Frazier, Hannah Chaddha, Kyland Young, Tiffany Mitchell e Xavier Prather se uniram e montaram uma estratégia para se proteger e eliminar os outros participantes.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

O grupo se nomeou de "Cookout" e tinha um único objetivo: fazer com que a 23ª edição tivesse o primeiro campeão negro da história. E apesar da final ainda não ter acontecido, os participantes conseguiram chegar onde queriam, pois só restam 6 participantes no reality e todos são negros.

Nas redes sociais, o grupo tem ganhado destaque e fãs do programa dizem ser a melhor aliança de todos os tempos. Mas também há quem pense o contrário, afirmando que a produção do reality contribuiu para que houvesse "racismo reverso".

"Certamente há muito racismo expresso pelos fãs do ‘Big Brother’ ao longo dos anos, então vê-los responder dessa forma não é surpreendente. É decepcionante. Ao longo de 23 temporadas, este show teve mais do que sua cota de alianças totalmente brancas", pontuou o crítico de TV Andy Dehnart ao Los Angeles Time.

Podcast Vida&Arte
O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags