Participamos do

Ômicron no Ceará: tailandesa, paulista e cearense são as três mulheres infectadas

Além de uma tailandesa, duas brasileiras chegaram ao Ceará com o vírus — uma de São Paulo e outra vinda de Milão, natural de Tianguá
17:17 | Dez. 23, 2021
Autor Ana Rute Ramires
Foto do autor
Ana Rute Ramires Repórter da editoria de Cidades
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os três primeiros casos de infecção pela variante Ômicron no Ceará são de mulheres. Duas brasileiras, dentre elas uma cearense de Tianguá, têm esquema vacinal completo e foram testadas no Aeroporto Internacional de Fortaleza. Uma tailandesa, que está grávida, foi testada no drive-thru do Shopping RioMar Kennedy. Não há informação sobre vacinação dela. 

Uma das brasileiras é paulista, de 31 anos, vinda de São Paulo, com sintomas iniciados no último dia 15.A outra paciente tem 26 anos e é natural de Tianguá, mas veio de Milão, na Itália, com escala no Rio de Janeiro. Ela começou a sentir sintomas no dia 17 de dezembro. Ambas seguem em isolamento, segundo a pasta.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

A paciente tailandesa, de 24 anos, está grávida e começou a sentir sintomas gripais no dia 7 de dezembro. Ela fez exame e cumpriu o isolamento em Fortaleza. Não há informações sobre a data de chegada.

Confirmação oficial da chegada da nova variante ao Ceará foi anunciada pelo governador Camilo Santana (PT) junto do secretário da Saúde, Marcos Gadelha. Governador fez um apelo para que a população se previna nas comemorações de fim de ano para que não haja recrudescimento da Covid-19 no Estado. 

Segundo Camilo, a chegada da Ômicron é um alerta e o governo deve monitorar a repercussão da variante no Estado para avaliar as medidas a serem tomadas nas próximas semanas. 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags