Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Brasil registra 1.318 mortes e 42.283 casos nas últimas 24 horas

O País apresenta um total de 19.797.08 casos de contágio, além de 553.179 de pessoas vitimadas pela doença. A taxa de letalidade em todo o território nacional é 2,8%
19:19 | Jul. 29, 2021 Autor - Lara Vieira Tipo Notícia

Um total de 1.318 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta quinta-feira, 29, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 42.283 novos casos de contágio pela doença. Atualmente, o Brasil registra um total 19.839.369 casos de contágio, além de acumular 554.497 vítimas da doença. 

Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 1.069, enquanto que a média de casos se encontra em 45.094. Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 138.436 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 58.973 óbitos, e Minas Gerais, com 50.225.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,7%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizados esta quinta-feira, 29, às 13h30min, o Estado soma 917.645 casos confirmados de Covid-19 e 23.488 mortes pela doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil registra 578 mortes e 18.999 casos nas últimas 24 horas

Boletim
2021-07-28 19:26:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

Um total de 1.344 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta quarta-feira, 28, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 48.013 novos casos de contágio pela doença. Atualmente, o Brasil registra um total 19.797.086 casos de contágio, além de acumular 553.179 vítimas da doença. 

Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 1.082, enquanto que a média de casos se encontra em 46.162. Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 138.101 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 58.766 óbitos, e Minas Gerais, com 50.059.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,7%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizados esta quarta-feira, 26, às 15h48min, o Estado soma 916.994 casos confirmados de Covid-19 e 23.465 mortes pela doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil registra 1.333 mortes e 41.411 casos nas últimas 24 horas

Boletim
2021-07-27 20:22:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

Um total de 1.333 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta terça-feira, 27, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 41.411 novos casos de contágio pela doença. No ultimo domingo, 25, no período de 24 horas, o Brasil registrou menos de 500 mortes. Esse foi o número mais baixo desde janeiro de 2021.

Atualmente, o Brasil registra um total 19.749.073 casos de contágio, além de acumular 551.835 vítimas da doença. Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 1.094, enquanto que a média de casos se encontra em 47.091.


Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 137.740 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 58.612 óbitos, e Minas Gerais, com 49.901.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,8%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizados esta segunda-feira, 26, às 9h56min, o Estado soma 916.008 casos confirmados de Covid-19 e 23.402 mortes pela doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil registra 578 mortes e 18.999 casos nas últimas 24 horas

Boletim
2021-07-26 19:32:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

Um total de 578 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta segunda-feira, 26, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 18.999 novos casos de contágio pela doença. No ultimo domingo, 25, no período de 24 horas, o Brasil registrou menos de 500 mortes. Esse foi o número mais baixo desde janeiro de 2021.

Atualmente, o Brasil registra um total 19.707.662 casos de contágio, além de acumular 550.502 vítimas da doença. Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 1.107, enquanto que a média de casos se encontra em 45.117.

Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 137.273 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 58.452 óbitos, e Minas Gerais, com 49.869.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,8%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizados esta segunda-feira, 26, às 9h56min, o Estado soma 914.992 casos confirmados de Covid-19 e 23.382 mortes pela doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Brasil registra 1.324 mortes e 108.732 casos nas últimas 24 horas

Boletim
2021-07-23 19:51:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

Um total de 1.324 mortes em decorrência da Covid-19 foram registradas nas últimas 24 horas. Os dados foram divulgados pelo Conselho Nacional de Secretários de Saúde nesta sexta-feira, 23, às 18 horas. Durante o período, também foram notificados 108.732 novos casos de contágio pela doença. Atualmente, o Brasil registra um total 19.632.443 casos de contágio, além de acumular 548.340 vítimas da doença.

Nos últimos sete dias, a média móvel de óbitos se encontra em 1.135, enquanto que a média de casos se encontra em 46.333. Em número total de mortes, São Paulo continua como o estado brasileiro com maior registros, com 136.884 casos. Em seguida, vem os estados do Rio de Janeiro, com 58.219 óbitos, e Minas Gerais, com 49.500.

A taxa de letalidade em todo território nacional é de 2,8%. Dentre os estados, o maior índice registrado é no Rio de Janeiro, com taxa de 5,8%. O Ceará é o segundo estado do Nordeste e o sétimo do Brasil a registrar mais mortes desde o início da pandemia. Segundo dados da plataforma IntegraSUS, da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), atualizados esta sexta-feira, 23, às 15h17min, o Estado soma 913.440 casos confirmados de Covid-19 e 23.361 mortes pela doença.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Fiocruz aponta que mortes por Covid-19 voltam a se concentrar em pessoas acima dos 60 anos

Boletim Epidemiológico
2021-07-22 22:24:00 Autor Lara Vieira Tipo Notícia

De acordo com a nova edição do Boletim Observatório Covid-19 Fiocruz, publicada nesta quinta-feira, 22, aponta nova transição no perfil demográfico da pandemia. De acordo com a instituição, entre 3 e 10 de julho, a porcentagem de idosos no número de óbitos é de 58,2%. Cerca de um mês antes, entre 6 a 12 de junho, a porcentagem de idosos que contraíram a doença era de 31,8%. Os dados mostram também redução de internações em leitos UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) na faixa etária de 50 a 59 anos e uma interrupção no aumento na faixa de 40 a 49 anos.

No entanto, segundo os dados recolhidos, entre 3 a 10 de julho, a idade média dos internados é de 53 anos. Antes, entre 3 e 9 de janeiro, a idade média era de 62,5 anos. Já para os óbitos, os valores médios foram 71,4 anos, para 64,3 anos.

“Convém ressaltar que houve uma inflexão na tendência de declínio. Para os casos, a média de idade das internações já chegou a 52,1 anos. Para os óbitos, a inflexão é mais evidente: a média da idade atingiu 59,4 anos. Entre as SE 20 (16 a 22 de maio) e 25 (20 a 26 de maio), a mediana esteve abaixo dos 60 anos. Desde a SE 26 (27 de maio a 3 de julho), a maioria dos casos voltou a se concentrar acima dos 60 anos”, ressaltam os especialistas.

SRAG

Nas últimas duas semanas epidemiológicas, o número de casos de Síndromes Respiratórias Agudas Graves (SRAG) desacelerou. Nesse período também foi registrada uma queda tanto no número de casos novos (-2,1%), quanto no número de óbitos (-2,6%). A taxa de letalidade foi mantida em torno de 3%.

No Boletim, os especialistas reafirmam a importância do avanço da campanha de imunização para a persistência da melhora nos números da pandemia. “O avanço da vacinação no Brasil tem ocorrido de forma mais lenta do que desejável. Ainda assim, a melhoria do quadro pandêmico no país é uma consequência direta do aumento no número de imunizados”, frisa.

Segundo cientistas do Observatório, o aumento recente ou o registro de estabilidade em alguns estados sugere um quadro a ser monitorado. Foi registrado um aumento no número de casos por SRAG no Acre e no Amazonas. Sinais de estabilidade, por outro lado, foram observados no Amapá, Distrito Federal, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte e Rondônia. Em todo o País, as taxas de incidência de SRAG ainda se encontram em níveis alto, muito alto ou extremamente alto.

Já nos estados das regiões Sul e Centro-Oeste, em São Paulo, Minas Gerais, e no Amapá, as taxas de incidência são extremamente altas, maiores que 10 casos por 100 mil habitantes. A maior parte das regiões Norte e Nordeste e o Rio de Janeiro encontram-se em níveis muito altos, ou seja, com valores entre cinco e 10 casos por 100 mil habitantes. Já no Espírito Santo e em Roraima observaram-se taxas de incidência um pouco inferiores, mas ainda consideradas altas.

Casos e óbitos

O Boletim também indica que não houve aumento das taxas de incidência ou mortalidade em nenhum estado. Ao contrário, houve redução expressiva no número de casos no Rio Grande do Norte, Rondônia e Alagoas. A redução no número de óbitos foi expressiva no Piauí, Acre, Pará e Sergipe.

As maiores taxas de incidência de Covid-19 no período das últimas duas semanas foram observadas nos estados de Roraima, Mato Grosso e Santa Catarina. Já no Paraná, Mato Grosso e São Paulo apresentam as maiores taxas de mortalidade pela doença. As maiores taxas de letalidade foram registradas no Rio de Janeiro (5,7%), São Paulo (3,4%), Amazonas (3,4%) e Pernambuco (3,1%).

“Os valores elevados de letalidade revelam falhas no sistema de atenção e vigilância em saúde nesses estados, como a insuficiência de testes diagnóstico, da triagem de infectados e seus contatos, identificação de grupos vulneráveis, bem como a incapacidade de se identificar e tratar adequadamente os casos graves de Covid-19”, afirmam os cientistas do Observatório Covid-19 Fiocruz.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags