PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Sindicato pergunta se médicos têm interesse em 3ª dose de vacina contra Covid-19

Ação ocorre após entidade receber questionamentos dos médicos sobre a eficácia da CoronaVac, que tem eficácia de 50,38%, a menor entre os imunizantes aplicados. Internautas questionam iniciativa do Sindicato

Mirla Nobre
17:34 | 21/07/2021
No Ceará, a maioria dos profissionais recebeu a vacina CoronaVac, primeiro imunizante a ser aplicado na campanha de vacinação contra a Covid-19 no País (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
No Ceará, a maioria dos profissionais recebeu a vacina CoronaVac, primeiro imunizante a ser aplicado na campanha de vacinação contra a Covid-19 no País (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O Sindicato dos Médicos do Ceará está realizando um levantamento dos profissionais interessados em receber uma possível dose de reforço, ou seja, uma 3ª dose da vacina contra a Covid-19. A pesquisa foi disponibilizada pela entidade, nessa terça-feira, 20, por meio das redes sociais. O Sindicato destaca que a maioria dos profissionais recebeu a vacina CoronaVac, que conforme os estudos de Fase 3, realizados pelo Instituto Butantan, tem eficácia de 50,38%, a menor entre os imunizantes aplicados até o momento no Brasil.

A iniciativa da entidade foi colocada em questionamento por internautas, no qual apontam que a pesquisa pode gerar insegurança pela população na eficácia do imunizante contra a doença. De acordo com o Sindicato, a ação ocorre após o recebimento de diversos questionamentos dos médicos sobre a eficácia do imunizante aplicado. Eles defendem que há uma preocupação pelo fato de os médicos estarem mais expostos ao contato com o coronavírus. No Ceará, a maioria dos profissionais recebeu a vacina CoronaVac, primeiro imunizante a ser aplicado nos grupos prioritários da campanha de vacinação contra a Covid-19 no País.

LEIA TAMBÉM | As vacinas atuais protegem contra a variante delta?

Alguns internautas questionaram a atitude da entidade. “Lamento o post do Sindicato sobre este tema. A vacinação dos profissionais de saúde e da população tem se mostrado eficaz com todas as vacinas no nosso Estado, no País e no mundo. Seguir por esse caminho é seguir cego em relação à ciência e dissociado das ações de fato eficazes no enfrentamento à maior pandemia do século”, escreveu um seguidor na publicação do Sindicato.

Outra seguidora destacou que o questionamento com os profissionais é desinformação à sociedade. “Lamentável! Sindicato dos Médicos que não se pauta pela ciência e que desinforma sempre. Defendeu tratamento ineficaz, questionou eficácia da vacina e agora quer terceira dose para médicos quando mais de 80% da população brasileira ainda não teve acesso a segunda dose”, disse.

Atualmente, o Ceará tem um total de 1.479.356 pessoas que completaram a imunização contra a Covid-19 (duas doses de AstraZeneca, CoronaVac, Pfizer ou dose única da Janssen). A quantidade equivale a 16,10% da população, de um total de 9,1 milhões de pessoas que residem no Estado.

Leia Também | Adultos que quiserem escolher vacina irão para fim da fila em São Bernardo

Em nota enviada ao O POVO, o Sindicato dos Médicos informou que o formulário foi desenvolvido com o objetivo de ouvir e entender a opinião da própria categoria, em especial dos médicos que atuam diretamente na linha de frente no combate à Covid-19. De acordo com a entidade, a justificativa do levantamento é que esses profissionais possuem uma exposição maior ao vírus e que não questiona a eficácia da vacina.

“O Sindicato dos Médicos não questiona a eficácia de nenhum dos imunizantes aplicados, apenas defende uma proteção maior aos profissionais que estão se arriscando, assim como defende o avanço da vacinação para toda a população. A entidade esclarece, ainda, que a enquete foi motivada pela manifestação de alguns associados”, disse.

Sobre o possível resultado positivo do levantamento no interesse dos profissionais no reforço da vacina, a Associação destaca que precisa entender como pensam os médicos e "só então a entidade, que tem como premissa defendê-los e atender seus anseios, tomará as medidas necessárias para tal". Por fim, a entidade destacou que irá agir com prudência elaborando a pesquisa antes de tomar qualquer posicionamento.

Confira a nota na íntegra

"O Sindicato dos Médicos do Ceará informa que o formulário foi desenvolvido com o objetivo de ouvir e entender a opinião da própria categoria, em especial dos médicos que atuam diretamente na linha de frente no combate à Covid-19 e que, logo, possuem uma exposição maior ao vírus.

Vale destacar que a ação ocorre após o recebimento de diversos questionamentos dos médicos sobre a eficácia do imunizante aplicado. No Ceará, a maioria dos profissionais recebeu a vacina Coronavac, que conforme os estudos de fase 3 realizados pelo Butantan, tem eficácia de 50,38%, a menor entre os imunizantes aplicados até o momento no país. A preocupação, no entanto, surge pelo fato de os médicos estarem mais expostos ao contato com o coronavírus.

Entretanto, o Sindicato dos Médicos não questiona a eficácia de nenhum dos imunizantes aplicados, apenas defende uma proteção maior aos profissionais que estão se arriscando, assim como defende o avanço da vacinação para toda a população. A entidade esclarece, ainda, que a enquete foi motivada pela manifestação de alguns associados.

Trata-se apenas de uma enquete para entender como pensam os médicos. E só então a entidade, que tem como premissa defendê-los e atender seus anseios, tomará as medidas necessárias para tal. Neste sentido, o Sindicato dos Médicos age com prudência elaborando a pesquisa antes de tomar qualquer posicionamento.

E, mais uma vez, nós deixamos bem claro que acreditamos, sim, na eficácia dos imunizantes e nos estudos divulgados pela ciência".

Veja a publicação