PUBLICIDADE
Noticia

Adultos que quiserem escolher vacina irão para fim da fila em São Bernardo

Aqueles que não quiserem receber o imunizante do dia contra a Covid-19 terão de assinar um documento específico atestando a decisão, serão encaminhados para o final da fila da vacinação e só serão imunizados depois que o último adulto de 18 anos tiver tomado sua dose.

11:01 | 01/07/2021
Profissional da saúde segurando equipamentos com o imunizante contra Covid-19. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)
Profissional da saúde segurando equipamentos com o imunizante contra Covid-19. (Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), informou que as pessoas que se recusarem a tomar a vacina contra a Covid-19 da marca que estiver disponível nos postos de imunização vão para o fim da fila. A medida foi anunciada na última quarta-feira, 30, em uma live transmitida nas redes sociais do prefeito e passa a valer a partir desta quinta-feira, 1º.

Aqueles que não quiserem receber o imunizante aplicado na data e horário do seu agendamento terão de assinar um documento específico atestando a decisão. Consequentemente, os que assinarem serão encaminhados para o final da fila da vacinação e só serão imunizados depois que o último adulto de 18 anos tiver tomado sua dose do imunizante contra a Covid-19.

LEIA MAIS | Maranguape zera internações de pacientes com Covid-19 e não registra mortes há seis dias

Morte de Mizael completa um ano sem que inquérito tenha sido concluído

“Se você se recusar a assinar, duas testemunhas que estão trabalhando assinarão dando fé. Eu tenho insistido que vacina não é para escolher. Você lembra a marca da vacina que tomou de gripe? Não lembra. Você lembra, quando era jovem, a vacina que a sua mãe te deu de sarampo, de rubéola? Ninguém nunca pediu a marca de vacina. Por que agora, na maior pandemia da humanidade, as pessoas querem escolher vacina?”, argumenta o prefeito Orlando Morando.

Durante o ao vivo, o prefeito contou que na última terça-feira, 29, cerca de 200 pessoas se recusaram a tomar algum tipo de imunizante em São Bernardo do Campo. Desse modo, a medida está sendo adotada em resposta aos chamados "sommelier de vacina", que vão atrás de marcas específicas do imunizante.

“Sem nenhum constrangimento, é um direito seu. Aqui ninguém faz nada obrigado. Mas também é um direito nosso colocá-lo no fim da fila, porque você tem o direito da sua vacina, mas não está tomando porque não quer”, diz Morando.

O município registra 52% de ocupação dos leitos de UTI e enfermaria. Cerca de 101 mil pessoas já receberam as duas doses da vacina. O município possui 844.483 habitantes, conforme o site da prefeitura de São Bernardo, 2.810 pessoas morreram de Covid-19.