PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Butantan interrompe produção de vacinas por falta de matéria-prima

São esperados até o próximo dia 15, seis mil litros do IFA (ingrediente farmacêutico ativo), quantidade suficiente para fabricar 10 milhões de doses do imunizante. A previsão anterior é que o insumo chegasse até a próxima sexta-feira, 9

Leonardo Maia
21:48 | 07/04/2021
A paralisação ocorreu após atraso de entrega de matéria prima. (Foto: Antonio COR da Costa/Instituto Butantan)
A paralisação ocorreu após atraso de entrega de matéria prima. (Foto: Antonio COR da Costa/Instituto Butantan)

Atualizada quinta-feira, às 0h09min, para correção

O Instituto Butantan suspendeu temporariamente a produção de vacinas contra a Covid-19 nesta quarta-feira, 7, por falta de matéria-prima — o IFA (ingrediente farmacêutico ativo), segundo apuração da CNN Brasil, com três fontes com conhecimento do assunto.

Um lote com 2,5 milhões de vacinas já está pronto e deve ser entregue na próxima semana, após o prazo do controle de qualidade. O Butantan confirmou ainda que, mesmo diante do atraso para entrega do IFA, cumprirá o contrato firmado com o governo federal, que prevê a entrega de 46 milhões de vacinas até o fim de abril.

A entrega do IFA, insumo necessário para fabricação das vacinas, deverá ser feita até o próximo dia 15. Inicialmente a matéria-prima estava prevista para chegar até a próxima sexta-feira, 9, mas a data foi postergada. São esperados seis mil litros de IFA em São Paulo, quantidade suficiente para produzir 10 milhões de doses.

 

Em resposta à CNN, o Butantan não negou que a produção estivesse paralisada, diferentemente do que foi informado anteriormente. O Instituto garantiu que cumprirá os termos definidos em contrato com o Ministério da Saúde. Desde o início do ano, o instituto já entregou 38,2 milhões de doses, sendo 22,7 milhões apenas em março.

Já em relação à vacina da Oxford/Astrazeneca, produzida pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), são esperadas 18,4 milhões de doses até o dia 1º de maio. No total, 100,4 milhões de doses serão produzidas no Instituto Bio-Manguinhos até julho, também a partir de IFA importado da China.