PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

São Paulo vai transportar corpos de vítimas da Covid-19 em vans escolares

A gestão municipal emitiu uma nota afirmando a contratação de 50 carros particulares desse porte, que devem passar agora por um processo de adaptação ao serviço funerário

17:08 | 29/03/2021
Número de enterros na cidade de São Paulo aumentou em quase 30% (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)
Número de enterros na cidade de São Paulo aumentou em quase 30% (Foto: NELSON ALMEIDA / AFP)

Devido ao aumento do número de enterros, a prefeitura da cidade de São Paulo vai usar vans escolares para transportar corpos de pessoas que morreram em decorrência da Covid-19. De acordo com informações do portal de notícia G1, divulgadas nesta segunda-feira, 29, a gestão municipal emitiu uma nota afirmando a contratação de 50 carros particulares desse porte, que devem passar agora por um processo de adaptação ao serviço funerário. 

De acordo com a reportagem, serão contratados ainda carros como furgão e aqueles que geralmente são destinados a passeio. Para dirigir as vans escolares, a empresa Era Técnica Engenharia Construções e Serviços, que fechou locação com a prefeitura, contratou motoristas que atuavam anteriormente na função mas estavam sem trabalhar devido a suspensão das aulas presenciais.

| LEIA MAIS |

Aumento na demanda volta a assustar setor funerário em 2021

Camilo recebe ameaça de morte, confirma Secretaria da Segurança

Esses condutores passam agora por um processo de treinamento para começarem a executar o serviço de transporte dos corpos, atividade que deve durar de 10 a 12 horas por dia. A previsão é de que cada motorista contratado ganhe em torno de R$ 28 por hora trabalhada.

Em relação as vans, elas serão adaptadas, perdendo bancos traseiros e o adesivo amarelo que as identificam como transporte escolar. Além disso, a prefeitura garantiu que no final da contratação os veículos vão passar por um processo de higienização.

A ideia para contratar os carros, segundo gestão municipal, foi fazer com que o serviço funerário da cidade dobrasse o número de veículos e conseguisse atender a demanda que tem sido observada ultimamente. Devido ao disparo de casos da doença na região, a cidade chegou a registrar um aumento de quase 30% dos enterros realizados.