PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Municípios têm até hoje para adotarem novos critérios de vacinação recomendados pelo MPCE

A principal determinação do órgão é que profissionais da saúde que não estão na linha de frente de combate à doença sejam desconsiderados na fase prioritária da vacinação

23:27 | 26/03/2021
O órgão solicita que profissionais que não estão na linha de frente de combate à doença sejam desconsiderados da fase prioritária do plano de imunização (Foto: Divulgação)
O órgão solicita que profissionais que não estão na linha de frente de combate à doença sejam desconsiderados da fase prioritária do plano de imunização (Foto: Divulgação)

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) recomenda a 57 municípios cearenses, até esta sexta-feira, 26, a adoção de novos critérios para seleção do grupo prioritário da vacinação, sobretudo dos profissionais da saúde. O órgão solicita que profissionais que não estão na linha de frente de combate à doença sejam desconsiderados da fase prioritária do plano de imunização.

O MPCE pede ainda que os gestores do municípios notificados apresentem uma lista completa dos profissionais de saúde que constam na categoria preferencial dos seus respectivos planos de vacinação.

Até o dia 23, haviam sido expedidas recomendações aos municípios de Acopiara, Araripe, Banabuiú, Baturité, Boa Viagem, Camocim, Campos Sales, Caucaia, Choró, Ereré, Eusébio, Graça, Horizonte, Ibiapina, Icó, Iguatu, Ipueiras, Iracema, Itapipoca, Itaitinga, Jardim, Jati, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Madalena, Maranguape, Monsenhor Tabosa, Orós, Penaforte, Piquet Carneiro, Porteiras, Potengi, Potiretama, Quiterianópolis, Quixadá, Quixeramobim, Salitre, Santana do Acaraú, Santana do Cariri, São Benedito, São João do Jaguaribe, Sobral, Tabuleiro do Norte, Tamboril, Umirim e Viçosa do Ceará. Nos últimos três dias, novas notificações foram feitas aos municípios de Ararendá, Barbalha, Crato, Guaramiranga, Ipaporanga, Jaguaribe, Mombaça, Pacoti, Paracuru, Pedra Branca e Poranga.

Nos documentos, o MPCE recomendou ainda que os municípios deixem imediatamente de imunizar os profissionais da saúde que não estão diretamente envolvidos no enfrentamento da doença. Devem passar a ser vacinados também aqueles profissionais que tenham maior grau de exposição ao vírus, tais como profissionais, ainda que de outras áreas, que trabalham na assistência à saúde dos pacientes em hospitais e unidades de saúde.

O MPCE também advertiu que não sejam incluídos na fase atual os profissionais inativos, aposentados, afastados e os habilitados em áreas de saúde, mas que desempenham atividades exclusivamente acadêmicas, como professores ou pesquisadores.

Segundo o órgão reforça, devem ser vacinados com prioridade os idosos maiores de 75 anos, em escala decrescente de idade, simultaneamente a profissionais da linha de frente ou idosos abaixo de 75 anos, com a doses remanescentes da vacinação domiciliar. Os demais profissionais da saúde serão prioridade juntamente a idosos entre 60 e 75 anos, em suas respectivas fases.