PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Vacinação começará "no mesmo horário em todo o Brasil", diz secretário do MS

Ainda não há data oficial para início da imunização contra a Covid-19. Segundo Élcio Franco, secretário-executivo do Ministério da Saúde, vacinação começará quando todas as capitais tiverem doses

22:59 | 13/01/2021
Distribuição pode levar até cinco depois (Foto: Governo do Estado de São Paulo)
Distribuição pode levar até cinco depois (Foto: Governo do Estado de São Paulo)

A data de início da vacinação contra a Covid-19 no Brasil ainda é incerta. Segundo o secretário-executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, a vacinação "iniciará no mesmo horário em todo o Brasil". Em coletiva de imprensa na noite desta quarta, 13, ele frisou que, após aprovação pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a previsão é de que a distribuição seja feita de três a cinco dias. A imunização começará quando todas as capitais tiverem doses para "garantir equidade". 

Questionado, ele não deu uma data de início do calendário. Em previsão anterior, Ministério anunciou que a vacinação começaria entre 20 de janeiro e 10 de fevereiro.

LEIA TAMBÉM | Camilo terá reunião com Pazuello na próxima terça-feira, 19

A Anvisa anunciou que no próximo domingo, 17, realizará reunião para decidir sobre a autorização de uso emergencial das vacinas que fizeram os pedidos. São elas a CoronaVac, feita pelo Instituto Butantan em parceria com a chinesa Sinovac, e a vacina produzida pela Fiocruz, juntamente com a farmacêutica AstraZeneca e Universidade de Oxford. 

"A Anvisa aprovando, no domingo, vamos começar a distribuição do imunizante para as Capitais. E das capitais, o material é loteado e conforme os planejamentos estaduais ela será capilarizada para os municípios para chegar nas unidades básicas de saúde", disse. "Não posso esperar chegar em todos os 5.570 municípios, em 38 mil salas, para então começar a vacinação. Vai começar quando chegar nas capitais, é essa a ideia", explicou.

Dessa forma, mesmo os estados de  São Paulo e Rio de Janeiro, que sediam laboratórios responsáveis pelas vacinas, terão de esperar até que todas as unidades da federação disponham das doses. "Não podemos tratar brasileiros de forma diferente. Temos que tratar todos da mesma forma. Ninguém ficará para trás. Por isso, a vacinação começará simultaneamente em todo o país", disse. 

LEIA TAMBÉM | Governos afastam necessidade de cartão para vacinação de Covid-19