PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Teste da vacina chinesa deve ser concluído nesta sexta, afirma Governo de São Paulo

O governador do estado de São Paulo, João Doria, adiantou que os resultados são positivos e devem ser divulgados na próxima segunda-feira, 19

Ismia Kariny
13:29 | 16/10/2020
O acordo entre o governo de São Paulo e o laboratório Sinovac considera a compra de 46 milhões de doses, sendo 40 milhões formuladas pelo Instituto Butantan. (Foto: Reuters/Direitos reservados)
O acordo entre o governo de São Paulo e o laboratório Sinovac considera a compra de 46 milhões de doses, sendo 40 milhões formuladas pelo Instituto Butantan. (Foto: Reuters/Direitos reservados)

Os testes de eficácia e segurança da vacina chinesa contra a Covid-19 devem ser concluídos nesta sexta-feira, 16, garantiu o governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O imunizante é desenvolvido pelo laboratório chinês Sinovac, em parceria com o Instituto Butantan. Conforme o governador, os resultados, positivos até o momento, serão divulgados na próxima segunda-feira, 19. As informações são do portal de notícias Exame.

“Até agora, todos os resultados foram positivos. Nenhuma colateralidade foi apresentada nos 13.000 médicos e enfermeiros que foram testados em sete estados brasileiros”, disse o governador, em entrevista coletiva no Palácio dos Bandeirantes na quarta-feira, 14. A data prevista para o início da campanha de imunização é 15 de dezembro. Os primeiros a receberem doses da vacina serão profissionais de saúde, educadores e pessoas com doenças crônicas.

Leia também | "Dia D" da vacinação contra sarampo e poliomielite irá ocorrer em todos os postos de saúde de Fortaleza no sábado, 17

O acordo entre o governo de São Paulo e o laboratório Sinovac considera a compra de 46 milhões de doses, sendo 40 milhões formuladas pelo Instituto Butantan. Outras 14 milhões são aguardadas até fevereiro de 2021, totalizando 60 milhões. A imunização será aplicada em duas doses, com intervalo de 14 dias. A expectativa é que toda a população do estado de São Paulo seja vacinada até o fim de março. O processo ainda depende de autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).