PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Creches, autoescolas, cinemas, Areninhas: saiba o que reabre em Fortaleza

Instituições de educação infantil podem funcionar com até 30% da capacidade e devem oferecer possibilidade de ensino remoto, anunciou o governador Camilo Santana. Aulas presenciais de ensino fundamental e médio não foram liberadas e voltam nas semanas seguintes. Eventos e cinemas serão retomados

17:40 | 28/08/2020
Creches privadas poderão reabrir (Foto: Evilázio Bezerra em 16/06/2017)
Creches privadas poderão reabrir (Foto: Evilázio Bezerra em 16/06/2017)

A reabertura de creches e escolas particulares para aulas de pré-escola em Fortaleza, com atividades presenciais, começará no dia 1º de setembro. O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana (PT) durante transmissão nas redes sociais na noite desta sexta-feira, 28. Decisão é tomada após série de reuniões com setores da educação e Comitê Científico. Será autorizada presença de 30% das crianças. Também é obrigatório dar aos pais a opção de manter o ensino remoto.

Aulas teóricas e práticas de autoescola também poderão ser retomadas, com 35% da capacidade.

A determinação vale para a Capital e os demais municípios da Macrorregião de Saúde de Fortaleza, que cumpriram a 4ª fase de reabertura. "É obrigatório a escola oferecer opção de ensino remoto aos pais. Os pais vão escolher se permanecem com o ensino a distância", frisou Camilo. O governador não informou o porquê de a reabertura não incluir a rede pública de educação. 

Decisão sobre os estudantes das outras séries, do ensino fundamental e médico, fica para semanas seguintes. Escolas e creches públicas ainda não reabrirão. As aulas presenciais foram suspensas em 16 de março, um dia após a confirmação dos três primeiros casos de Covid-19 no Estado.

Também estão autorizado a partir do dia 1º de setembro:

- Cinemas, teatros, museus e bibliotecas com até 35% da capacidade

- Atividades extra-curriculares como ensino de idiomas e informática com até 30% da capacidade

- Atividades de apoio a educação, como serviço transporte escolar com até 30% da capacidade

- Aulas teóricas e práticas de autoescola, com 35% da capacidade 

- Atividades esportivas em locais abertos, como Areninhas, quadras e praças

Além disso, será permitida a realização de pequenos eventos com capacidade até 100 pessoas a partir do dia 14 de setembro. O prefeito Roberto Cláudio (PDT) destacou que há queda de indicadores da Covid-19 em Fortaleza há 15 semanas. "Também entendemos que há necessidades econômicas e sociais que, quando a condição sanitária nos dá segurança para assim fazê-lo, nos orientará a progressivamente a ir flexibilizando", afirmou. 

Conforme O POVO adiantou, fontes próximas a Camilo afirmam que um modelo apresentado ao governador é semelhante ao já adotado no plano de reabertura da economia, com divisão por quatro etapas e índices fixados para cada estágio. Dessa forma, o retorno deve ser escalonado e dividido por grupos, estendendo possivelmente pelo mês de outubro.

Testagem de profissionais 

A partir da próxima segunda-feira, 31, os serviços de testagem para Covid-19 da Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) passarão a atender exclusivamente profissionais da rede de ensino público de Fortaleza. Os trabalhadores serão encaminhados pela Secretaria de Educação do Estado (Seduc), com horário previamente agendado com a Sesa, para os centros de testagem. Na rede particular de ensino, os testes serão feitos pelas próprias organizações.

Embate entre categorias

Entidades que representam profissionais da educação são contra o retorno presencial, justificando que abertura das escolas pode contribuir para uma segunda onda de contaminação do vírus no Ceará. O Sindicato dos Professores e Servidores da Educação e Cultura do Estado e Municípios do Ceará (Apeoc) entregou, nesta sexta-feira, 28, ofício à Secretaria da Educação (Seduc) solicitando o não retorno das aulas presenciais no estado.

As escolas particulares têm feito pressão pela reabertura. Na semana passada, o Sindicato dos Estabelecimentos Particulares de Ensino do Ceará (Sinepe-CE) realizou carreata para pedir retorno das aulas presenciais. A entidade defende que a rede privada está preparada para o retorno desde julho.