PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Estudo identifica lesões na placenta de grávidas diagnosticadas com Covid-19

A pesquisa não apontou riscos para o feto, mas alertou para alterações na função da placenta

16:27 | 23/05/2020
O recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de no mínimo oito consultas pré-natal.  (Foto: Ana Nascimento/MDS/Portal Brasil)
O recomendado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) é de no mínimo oito consultas pré-natal. (Foto: Ana Nascimento/MDS/Portal Brasil)

Lesões nas placentas de 16 grávidas diagnosticadas com Covid-19 foram identificadas por pesquisadores norte-americanos em um estudo recente. De acordo com o G1, um artigo publicado nessa sexta-feira, 22, pela revista "American Journal of Clinical Pathology" não apontou riscos para o feto, mas alertou para alterações na função do órgão.

A placenta é o primeiro órgão a se formar no desenvolvimento fetal e tem funções análogas às dos pulmões, intestinos, rins e fígado. É a partir dela que o feto absorve oxigênio e nutrientes da corrente sanguínea da mãe.

Em nota, o professor Jeffrey Goldstein, da Northwestern University, um dos autores do estudo, assegurou que a maioria dos bebês nasceu sem nenhuma complicação, após gestações normais. "[A lesão] não pareceu induzir resultados negativos nos nascimentos, com base em nossos dados que são limitados", concluiu.

O tipo de lesão observada pelo estudo mostrou um fluxo anormal no sangue entre as mães e fetos, o que sugere, segundo os especialistas, uma nova complicação da Covid-19. Os cientistas defenderam que a descoberta serve de alerta para que grávidas sejam monitoradas clinicamente durante a pandemia.

Acompanhamento das grávidas deve garantir saúde dos fetos

Para a professora de obstetrícia Emily Miller, coautora do estudo, o monitoramento das grávidas tem que ser reforçado para garantir que os fetos se desenvolvam de maneira saudável.

LEIA TAMBÉM | Grávidas em final de gestação precisam de atenção especial em meio à crise do coronavírus 

Miller fez um alerta sobre as conclusões obtidas pela pesquisa. "Não quero desenhar um cenário assustador, mas essas descobertas me preocupam", disse em um comunicado. "Saber que a Covid-19 pode causar alterações na placenta traz algumas implicações bastante significativas para a saúde de uma gravidez", completou.

Ela orientou, ainda, que o acompanhamento seja feito a partir de testes "não-estressantes", que consigam examinar a oxigenação da placenta e acompanhar o crescimento dos bebês em "uma taxa saudável".

Sem transmissão de mãe para filho

Até o momento não há registro de transmissão da Covid-19 entre mães grávidas e seus bebês. Um artigo publicado na revista "Frontiers in Pediatrics", trouxe a análise de quatro mães que estavam infectadas pelo vírus e que deram à luz em um hospital de Wuhan, cidade chinesa que foi o primeiro epicentro da doença.

De acordo com o artigo dos pesquisadores, nenhum dos bebês desenvolveu os sintomas da Covid-19, como febre ou tosse. Ainda assim, eles foram isolados em unidades de terapia intensiva e alimentados com fórmula. Três dos quatro recém-nascidos fizeram o teste para o coronavírus e o resultado foi negativo. Uma das mães não autorizou que o exame fosse feito.

LEIA TAMBÉM | Durante pandemia, cerca de 43% das gestantes demonstram medo, ansiedade e transtornos do comportamento