PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Inclusão de academias e salões como atividades essenciais não passou pelo Ministério da Saúde

Surpreendido pela informação durante coletiva, o ministro Nelson Teich afirmou que a decisão é "atribuição do presidente". Medida considera academias esportivas, salões de beleza e barbearias como atividades essenciais

21:53 | 11/05/2020
Nelson Teich, Ministro da Saúde, em coletiva técnica sobre ações de enfrentamento ao novo coronavírus
Nelson Teich, Ministro da Saúde, em coletiva técnica sobre ações de enfrentamento ao novo coronavírus (Foto: REPRODUÇÃO)

Durante coletiva técnica sobre o enfrentamento do novo coronavírus no Brasil, jornalistas tiveram de informar ao ministro da Saúde, Nelson Teich, sobre a assinatura do decreto que incluiu salões de beleza, barbearias e academias como atividade essencial. A informação da medida foi divulgada no início da noite desta segunda-feira, 11, e não foi alinhada com o Ministério da Saúde (MS).

Questionado se a decisão havia passado por ele, Teich respondeu que "Não. Não passou. Isso aí não é atribuição nossa. É do presidente". O ministro ainda demonstrou surpresa quando jornalistas o informaram da notícia: "Saiu hoje?". Os três setores agora tem resguardado o exercício e o funcionamento a despeito das medidas de distanciamento social.

No Ceará, porém, o decreto não altera as medidas de isolamento, atualmente em estado de "lockdown" (bloqueio total), com determinações mais rígidas. Isso porque o Supremo Tribunal Federal determinou que governos e prefeituras é que decidem as ações de enfrentamento para suas regiões.

O governador Camilo Santana (PT) se pronunciou sobre a decisão de Jair Bolsonaro e afirmou que os estabelecimentos de barbearia, academias de ginástica e salões de beleza "devem permanecer fechados".