PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Hospital da Mulher terá 10 leitos de UTI para pacientes com coronavírus em Fortaleza

Outros 15 leitos de enfermaria também serão disponibilizados. As novas unidades já começam a funcionar nesta sexta-feira, 1º, segundo o prefeito Roberto Cláudio

Matheus Facundo
17:53 | 30/04/2020
Fachada do Hospital da Mulher (Foto: ALEX GOMES/Especial para O POVO)
Fachada do Hospital da Mulher (Foto: ALEX GOMES/Especial para O POVO)

Com o objetivo de ampliar e tentar dar vazão ao crescente número de pacientes e à fila de espera para leitos de terapia intensiva, a Prefeitura de Fortaleza vai destinar 10 leitos de UTI do Hospital e Maternidade Zilda Arns (Hospital da Mulher) exclusivamente para o tratamento da Covid-19. Informação foi divulgada pelo prefeito Roberto Cláudio (PDT) durante transmissão ao vivo no fim da tarde desta quinta-feira, 30.

Outros 15 leitos do tipo enfermaria também serão convertidos em exclusivos para pacientes com coronavírus na Capital, totalizando 25 novos equipamentos para a linha de frente de combate à doença na rede municipal. Com 5.875 infecções confirmadas, Fortaleza tem o maior índice do novo coronavírus e está com seu sistema de saúde praticamente lotado, conforme divulgado pela Prefeitura e pelo Governo do Estado.

Os novos leitos no Hospital da Mulher já começam a funcionar nesta sexta-feira, 1º, segundo anunciou o chefe do Executivo Municipal. A unidade hospitalar é localizada no bairro Jóquei Clube e agora soma-se ao Hospital de Campanha do PV e ao IJF-2 na rede de hospitais que recebem pacientes com a Covid-19.

Esta nova disponibilização de leitos vem em meio aos entraves no recebimento de mais respiradores, para compor mais UTIs. "Algumas das UPAs já estão lotadas e a busca por internação e leitos de UTI vem aumentando. Por isso, estamos pensando de forma criativa não só conseguir abrir novos leitos de UTI, mas ajustar e otimizar nossa rede", pontua Roberto Cláudio. Na live, o prefeito informou a compra de 100 novos respiradores, com expectativa de chegada para este fim de semana ou início da semana que vem.

RC citou também a liminar judicial conseguida após ação dos Ministérios Público Estadual e Federal do Ceará para obrigar a liberação de 94 respiradores comprados pela Prefeitura de Fortaleza e pelo Governo do Estado, retidos pela empresa Intermed, por diretrizes do Ministério da Saúde. Ele afirmou que a "escassez de respiradores tem sido o grande problema".

"Tudo isso é uma tentativa de com muita urgência e muita necessidade garantir a ampliação de leitos de terapia intensiva. Não têm faltado esforços para diversificar as compras e buscar soluções criativas", afirma o prefeito. 

Informações para familiares

Na transmissão ao vivo, Roberto Cláudio reconheceu os problemas no acesso a informações, por familiares, sobre pacientes com coronavírus nas Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) de Fortaleza. Em virtude disso, o prefeito informou que será criado um canal de comunicação centralizado, com profissionais de serviço social, para que os parentes tenha acesso a atualizações da evolução médica e estado de saúde dos internados.

"Reconhecemos a dificuldade de comunicação nas UPAs e vamos consertar esse equívoco até segunda-feira (04/05", informou RC. Ele atribui os entraves ao "serviço dinâmico e fluxo muito intenso" de pacientes nas unidades.

A Prefeitura irá alinhar a possibilidade de um canal único ou de um para cada UPA da linha de frente de tratamento da Covid-19. São elas as UPAs Cristo Redentor, Dendê, Vila Velha, Bom Jardim, São Cristovão e Itaperi.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >