PUBLICIDADE
Coronavírus
Noticia

Coronavírus no Brasil: Mulheres respeitam mais o isolamento social, mostra pesquisa Datafolha

Elas também "rejeitam" mais o governo do presidente Jair Bolsonaro, que se mostra ser contrário as medidas de proteção adotadas no País

Gabriela Almeida
16:07 | 28/04/2020
No Brasil, mais homens são contra o isolamento social e a favor do presidente Bolsonaro (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)
No Brasil, mais homens são contra o isolamento social e a favor do presidente Bolsonaro (Foto: AURÉLIO ALVES/O POVO)

Pesquisa realizada pelo instituto Datafolha nessa segunda-feira, 27, mostrou que, no Brasil, as mulheres respeitam mais o isolamento social provocado pelo novo coronavírus do que os homens. O levantamento, segundo informações divulgadas nesta terça-feira, 28, pelo jornal Folha de S. Paulo, foi feito por telefone com 1.503 brasileiros e apontou ainda que pessoas do sexo feminino tendem a rejeitar mais o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), que se mostrou critico ao modelo de isolamento adotado no País.

De acordo com pesquisa, 60% das mulheres entrevistadas afirmaram que estão saindo de casa só quando é inevitável e 20% delas garantiram que não “furavam a quarentena” de “forma alguma”. O percentual foi menor entre os homens que participaram da pesquisa, uma vez que 46% deles informaram sair de suas residências apenas quando era preciso, enquanto 13% alegaram não sair de maneira alguma.

Em relação a consciência quanto aos impactos da pandemia e sobre a necessidade de isolamento, as mulheres, mais uma vez, tiveram maioria sobre os homens. Entre elas, 71% defendem que ficar em casa é importante para evitar a disseminação do vírus, mesmo que a economia seja prejudicada. Entre eles, 63% tiveram essa mesma opinião.

Avaliação do Governo Bolsonaro

O levantamento também mostrou que as mulheres apoiam menos o presidente da República Jair Bolsonaro (sem partido) do que os homens, mostrando “desconfiança” sobre as atitudes do líder político que fez diversas críticas quanto ao modelo de isolamento adotado no País. Apenas 28% das entrevistadas avaliaram a gestão do capitão reformado como ótima ou boa, contra 43% que avaliaram como péssima ou ruim. Entre eles, os percentuais são de 40% e 33% respectivamente.

Quando o assunto é o impeachment do presidente, 49% delas apoiam a ação e 54% defendem que Bolsonaro não tem capacidade de liderança. Já entre os homens entrevistados, 42% defendem a abertura do processo e 44% não acreditam que o presidente tenha condições de governar o Brasil.

Ainda segundo reportagem da Folha de S. Paulo, um estudo realizado no Brasil mostrou que as desigualdades entre os gêneros não será acentuada apenas em opiniões. De acordo com o jornal, a crise econômica provocada pelo vírus deve aumentar a desigualdade no mercado de trabalho entre homem e mulher.