PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Ministério da Saúde anuncia plano de relaxamento de isolamento social para a próxima semana

A diretriz será estudada de acordo com as necessidades, como quadro de profissionais de saúde e número de equipamentos, e características de cada região

Matheus Facundo
18:58 | 22/04/2020
 Nelson Teich mantém posições sem bater de frente com Bolsonaro
 Nelson Teich mantém posições sem bater de frente com Bolsonaro (Foto: EVARISTO SA/AFP)

O novo ministro da Saúde, Nelson Teich, anunciou, durante coletiva de imprensa nesta quarta-feira, 22, que a pasta já conta com uma matriz de medidas para o relaxamento para a abertura gradual de serviços não essenciais. A diretriz será estudada de acordo com as necessidades, como quadro de profissionais de saúde e número de equipamentos, e características de cada região. Documento deve ser entregue na próxima semana.

"O afastamento [isolamento social] é ótimo na largada. mas tem que estar acompanhado de um plano de saída. É isso que vamos desenhar com as secretarias", pontuou Teich. O ministro, no entanto, não deu detalhamento sobre as medidas, mas afirmou que é preciso entender que "o Brasil é gigante e heterogêneo e não tem como a diretriz ser igual para todo mundo".

O número de casos confirmados da Covid-19, causada pelo novo coronavírus, chegou a 45.757 no Brasil. São 2.906 mortes pela doença, segundo dados divulgados pelo Ministério da Saúde na tarde de hoje, quarta-feira, 22 de abril (22/04).

Conforme Nelson Teich, será preciso um estudo para diretrizes específicas de afrouxamento das medidas de isolamento em cada região do País. "Qual é a infraestrutura de leitos da região? Como estão os recursos humanos? Como está o planejamento? É importante que consigamos ajudar os governos e municípios nesse processo de ajuste", pontua.

O titular da Saúde explica que os modelos tem de também estar "padronizados". Ele cita os estudo de projeção de casos, baseados em dados cruzados de outros países. No Ceará, por exemplo, a Secretaria da Saúde do Estado (Sesa) projeta 250 mortes diárias por coronavírus a partir do dia 5 de maio.

"É como eu conversei com os governadores do Nordeste. As projeções são complicadas. Não é que esses modelos sejam metodologicamente errados. Mas se você colocar algum numero errado, o resultado pode sair desbaratado. Se você gera números muito alarmantes e começa a tratar o modelo matemático como se fosse verdade isso piora", pondera Teich.

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >