PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Por que idosos estão mais suscetíveis ao coronavírus?

Especialista dá ainda dicas para idosos e famílias, durante este período de isolamento

Lucas Braga
12:21 | 31/03/2020
Drive Vacina permite que idosos sejam vacinados dentro do carro, sem correr risco de contágio pela Covid-19 
 (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza)
Drive Vacina permite que idosos sejam vacinados dentro do carro, sem correr risco de contágio pela Covid-19 (Foto: Divulgação/Prefeitura de Fortaleza)

A taxa de mortalidade pela Covid-19 é até cinco vezes maior em idosos, principalmente aqueles que têm comorbidades. Em entrevista à rádio O POVO/CBN, na manhã desta terça-feira, 31, o médico geriatra João Macedo explicou as causas da susceptibilidade.

"No Brasil, a taxa de mortalidade está entre 2% e 3%, mas nos idosos chega a 15%. Precisamos ter um cuidado muito especial com esse grupo etário", reforça o especialista, que também é diretor da Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará (UFC).

Ele aponta que idosos têm síndrome de fragilidade, caracterizada por sarcopenia (processo progressivo de perda de massa muscular e função do músculo) e alterações do sistema imunológico, o que os torna muito mais vulneráveis a infecções e ainda menor capacidade responsiva a elas.

João Macedo lembra também que a alteração muscular acentua a insuficiência respiratória, mais um agravante à Covid-19, e aumenta ainda a ocorrência de doenças crônicas, como patologias cardiovasculares. No Ceará, as cinco mortes causadas pelas complicações do coronavírus foram de idosos e/ou pacientes com doenças crônicas.

O geriatra recomenda o controle de acesso nas casas onde há idosos em isolamento preventivo. "Por exemplo, os filhos podem visitar, desde que tomem as devidas precauções como lavar as mãos e usar máscara. Assegurar também que os cuidadores tenham cuidado redobrado na higiene".

Outras dicas

Se o contato físico não for possível, mantenha contato por telefone, para evitar a sensação de abandono no idoso.

Assegure a continuidade de procedimentos médicos previamente recomendados, como a fisioterapia. De qualquer forma, o idoso deve se movimentar em casa.

Se o idoso tem deficiência em vitamina D, a reposição deve ser recomendada por médico.

Boa alimentação e constante hidratação estão entre os principais cuidados que o idoso deve manter.

Cuidados frequentes com a higiene também são necessários. Em cerca de 20 segundos de lavagem com água e sabão, tempo recomendado pela Organização Mundial da Saúde, é possível eliminar vírus e bactérias. A higienização com álcool em gel após apertos de mãos e outros contatos coletivos também ajuda. 

Mantenha o calendário de vacinação em dia. Ainda não há uma vacina disponível contra o coronavírus, mas prevenir contra outras doenças pode facilitar o diagnóstico e o tratamento.