Participamos do

Planalto quer concentrar informes sobre coronavírus, acabando com entrevistas de Mandetta

A determinação teria sido enviada pela Casa Civil e pela Presidência da República a todos o ministérios, para tentar "alinhar a narrativa" do Governo sobre o tema
22:13 | Mar. 30, 2020
Autor Izadora Paula
Foto do autor
Izadora Paula Estagiária do portal O POVO Online
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Os anúncios do Governo Federal relacionados ao enfrentamento ao novo coronavírus (covid-19) serão concentrados no Palácio do Planalto, deixando de ser realizados pelo Ministério da Saúde (MS), como vem sendo feito até o momento. A mudança seria motivada pelo incômodo do presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), com o protagonismo do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta. As informações são do O Globo.

A determinação teria sido enviada pela Casa Civil e pela Presidência da República a todos o ministérios, para tentar "alinhar a narrativa" do Governo Federal sobre o tema.

Na tarde desta segunda-feira, 30, entrevista coletiva foi realizada no Planalto, com a participação de Mandetta; Walter Braga Netto, ministro-chefe da Casa Civil; Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura; Paulo Guedes, ministro da Economia e André Mendonça, da Advocacia-Geral da União (AGU). A mudança também busca transmitir a imagem de união entre saúde e economia no combate à crise.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Por mais de uma vez, Bolsonaro demonstrou estar desalinhado com as recomendações do MS, quando, por exemplo, propôs isolamento apenas de pessoas dos grupos de risco. No último domingo, 29, o presidente ignorou as orientações de evitar aglomerações e foi às ruas em bairros do Distrito Federal.

Na coletiva desta segunda-feira, Mandetta voltou a contrariar posição de Bolsonaro. Enquanto o presidente da República critica abertamente as medidas de isolamento social decretadas pelos governadores dos estados, o ministro recomendou que tais atos sejam seguidos.

 

Acesse a cobertura completa do Coronavírus >

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags