PUBLICIDADE
Coronavírus
NOTÍCIA

Ministro da Saúde da França faz alerta sobre o uso de ibuprofenos e cortisonas contra o coronavírus

Apesar de contraindicação, no Brasil, o ibuprofeno é o segundo medicamento mais usado em casos de dor, febre e inflamação

17:12 | 15/03/2020
Em caso de suspeita, procure um médico (Foto: AGÊNCIA BRASIL)
Em caso de suspeita, procure um médico (Foto: AGÊNCIA BRASIL)

O Ministro da Saúde da França, Olivier Véran, alerta a população sobre o uso de medicamentos ibuprofenos e cortisonas, alegando que estes têm efeito negativo contra o novo coronavírus.

No Brasil, medicamentos denominados de ibuprofeno são comercializados no país com nome de Advil, Alivium ou Ibuflex. Já a cortisona pode ser vendida em forma de pomada, comprimido e spray nasal. De acordo com ele, é preferível priorizar medicamentos com paracetamol. Entretanto, no Brasil, o ibuprofeno é o segundo fármaco mais utilizado para combater casos de dor, inflamação e febre.

Segundo publicação da Uol, o Ministro afirma que vários médicos mencionaram casos de pacientes jovens infectados pelo covid-19 que se encontraram em estado grave após o uso destes medicamentos.

"Tomar medicamentos anti-inflamatórios (ibuprofeno, cortisona e outros) pode agravar a infecção. Em caso de febre, tome paracetamol. Se você já está tomando medicamentos anti-inflamatórios ou em caso de dúvida, pergunte ao seu médico", disse o ministro em sua conta no Twitter. A França já soma mais de 3.600 casos confirmados e 79 mortes.

De acordo com dados do El País, a Agência Francesa do Medicamento (ANSM) destaca alguns riscos do ibuprofeno no tratamento de infecções como anginas, rinofaringites, otites, tosse, infecção pulmonar, algumas lesões cutâneas e catapora (varicela). Por esse motivo, indicou como utilização adequada deste anti-inflamatório somente doses mínimas com pouco tempo de duração, não prolongando por mais de três dias em caso de febre e de cinco em caso de dor.


Leia também | Entenda a diferença entre Covid-19, resfriado e gripe