PUBLICIDADE
Turismo
NOTÍCIA

Cidades para conhecer as diferentes culturas da Espanha

A Espanha é país repleto de diferentes culturas que se manifestam ao longo das 17 comunidades autônomas

02/08/2019 16:07:18
A Basílica da Sagrada Família está em construção há mais de 100 anos, em barcelona
A Basílica da Sagrada Família está em construção há mais de 100 anos, em barcelona(Foto: Letícia Guerra)

Cataluña, Castilla y León, Andalucía, Galicia, País Basco e Ilhas Baleares... A Espanha é dividida em comunidades autônomas, que se assemelham às regiões brasileiras. E da mesma forma que o Nordeste tem características bem diferentes das do Sul, a cultura dessas comunidades adotam expressões e manifestações próprias, que se baseiam na economia, na política e, principalmente, na história local. Neste sentido, mais do que somente a capital Madri, a Espanha manifesta suas diferentes culturas ao longo dos mais de 500 mil km de área. O Vida&Arte teve a oportunidade de conhecer esse país tão diverso e separou algumas cidades que, de tão singulares, parecem ser de nacionalidades diferentes. 

Barcelona - Cataluña

Talvez a cidade mais conhecida de Espanha, Barcelona é um pólo de cultura, compras, economia e, seu grande diferencial, do modernismo arquitetônico. A Basílica da Sagrada Família, grande igreja em construção desde 1882, é o maior ponto turístico da cidade e representa a obra prima de um dos grandes nomes da Catalunha: Antoni Gaudí. Entrar na igreja, então, é mais do que opção: é uma obrigação. E além do monumento, Gaudí também deixou outros legados pela cidade, como a "Casa Batlló", a "Casa Milà" e o "Parque Güell", que também merecem pelo menos uma vista por fora.

Além das construções, a cidade é litorânea, com um porto e uma estrutura marítima para quem deseja desfrutar a brisa do mar. Uma ideia é atravessar a avenida “La Rambla”, via arborizada repleta de comércios, pequenos museus, monumentos e restaurantes, e ir em direção a “Rambla de Mar”, estrutura perfeita para sentar e apreciar o pôr do sol. Para a noite, passear pelo bairro gótico da capital catalã, em que os pontos se iluminam e a cidade brilha, é uma das melhores formas de conhecer os bares medievais e as ruas estreitas que compõem a vida noturna de Barcelona. Só cuidado para não se enrolar no catalão - dialeto da comunidade.

A Plaza de España é um dos principais pontos turísticos de Sevilha
A Plaza de España é um dos principais pontos turísticos de Sevilha (Foto: Letícia Guerra)

Sevilha - Andaluzia

A arquitetura dourada, o flamenco e a influência muçulmana são as características que mais marcam Sevilha, uma das cidades mais notáveis quando se fala da cultura espanhola. A dança das vestes vermelhas, as arenas de touros e o clima quente europeu são imagens que bem representam a atmosfera sevilhana. Devido à invasão muçulmana no começo do século VIII, a cidade, junto a Córdoba - pouco mais de 130 km de Sevilha - são grandes representantes dos traços de cultura islâmica no país. O "Alcazár de Sevilla" - palácio muçulmano - é um dos maiores pontos turísticos da cidade, atrás somente da "Plaza de España", grande praça em que todas as províncias do país são representadas em azulejos coloridos e que detém de um monumento a Bécquer, grande nome do romantismo espanhol.

Por se localizar no sul da Espanha, a cidade é quente no verão, alcançando temperaturas de mais de 40°C. A ideia é estar preparado para ir andando para todos as atrações: a "Catedral", a "Torre del Oro", o "Metropol Parasol" - grande construção contemporânea em formato de cogumelo - e a "Real Maestranza" - a arena de touradas. A cidade é pequena o suficiente para ajudar os visitantes a economizar nas passagens de transporte público e gastar em pelo menos uma apresentação de flamenco. O local é também um dos melhores para uma boa paella, refeição típica feita de arroz e frutos do mar.

Toledo - Castilla-La Mancha

O nome “La Mancha” talvez desperte em alguns uma lembrança literária. Eternizada no clássico "Dom Quixote de La Mancha", de Miguel de Cervantes, a terra de La Mancha, apesar de próxima de Madri, é uma experiência completamente diferente à da capital. Toledo, capital da comunidade autônoma, é uma cidade medieval em que os templários, a bruxaria e o personagem de Cervantes são os símbolos marcantes e que movem grande parte do turismo. São ladeiras, escadarias e paisagens naturais incríveis, já que a cidade se encontra em uma montanha. A dica é pegar um ônibus da estação até o ponto mais alto da cidade - o "Alcazár de Toledo", hoje o Museu do Exército -, dar uma parada pela Catedral - e entrar, se for possível, e ir descendo até a "Puerta Nueva de Bisagra" - grande portal medieval ao final do centro histórico de Toledo.  Caso queira apreciar a paisagem da melhor forma, o programa "Fly Toledo" oferece uma ideia de Tirolesa por cima do rio Tejo. 

San Juan de Gaztelugatxe fica a cerca de uma hora de Bilbau
San Juan de Gaztelugatxe fica a cerca de uma hora de Bilbau (Foto: Letícia Guerra)

Bilbau - País Basco

Mais perto da França e talvez mais francês do que Espanhol, o País Basco é outra comunidade autônoma que já parece outro país. O local é menos colorido, mais moderno e mais montanhoso que outros municípios, e tem como um de seus grandes patrimônios a língua basca ou "euskera", um dos idiomas mais antigos da Europa. Mas o grande destaque da cidade é, de fato, o "Museu Guggenheim", um dos cinco existentes no mundo e uma manifestação digna do país de Salvador Dalí. A instituição de arte moderna é, desde fora de sua construção, mais do que uma visão incrível, é uma experiência para todos os cinco sentidos. São obras em sua grande parte interativas, que estimulam a criatividade, manifestam protestos que divertem. Após a visita, a ideia é desfrutar dos pintxos, petiscos de pão e outras comidas. 

Com poucos pontos turísticos, outra ideia para aproveitar o País Basco é fugir dos prédios da cidade moderna e fazer uma viagem rápida para a ilha de San Juan de Gaztelugatxe, no Golfo da Biscaia. Para chegar lá, basta pegar um ônibus no começo do dia até a cidade e aproveitar a peregrinação de cerca de três horas e 232 degraus até a capela, onde o céu se mistura com o mar cantábrico. O cenário é místico e parece uma pintura de Francisco de Goya, em que o barulho do sino - o qual qualquer “peregrino” é livre para tocar -, e o barulho do mar transformam em uma pintura viva e orgânica, além de um passeio gratuito. A paisagem foi inclusive cenário de um episódio do seriado "Game of Thrones". 

Palma - Ilhas Baleares

Praias, coqueiros, grandes avenidas e a catedral mais inusitada. A cidade de Palma, nas Ilhas Baleares, por estar ao meio do Mar Mediterrâneo, garante uma outra experiência para o viajante. A natureza é predominante e a praia é o grande foco e destino. O clima tropical faz com que, até no inverno, seja possível andar pela cidade sem os grandes casacos, que são necessários no resto do país. Mas nem museu, nem arquitetura, o interessante de Palma é caminhar por entre os pequenos comércios, as ruelas, becos e, claro, as praias.

Natália Coelho ESPECIAL PARA O POVO