PUBLICIDADE
Carnaval
Noticia

Blocos de Carnaval em Fortaleza decidem só sair se houver vacina contra Covid-19

Nove das principais agremiações do Pré-Carnaval e Carnaval de Fortaleza condicionam sair às ruas em 2021 a haver vacina segura, confiável e disponível de forma ampla e gratuita à população

Érico Firmo
00:01 | 12/10/2020
Festa de Carnaval em Fortaleza na Gentilândia: nove blocos só irão à rua se houver vacina disponível à população (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)
Festa de Carnaval em Fortaleza na Gentilândia: nove blocos só irão à rua se houver vacina disponível à população (Foto: DEÍSA GARCÊZ/Especial para O POVO)

Nove dos mais importantes blocos de Pré-Carnaval e Carnaval de Fortaleza decidiram que só sairão às ruas em 2021 quando houver vacina eficiente e segura contra Covid-19. Outra condição para realizarem festejos carnavalescos é a realização de ampla campanha pública de imunização. A posição foi tomada pelos blocos Bonde Batuque, Camaleões do Vila, Caravana Cultural, Chão da Praça, Concentra Mas Não Sai, É Só Isso Mesmo, Luxo da Aldeia, Pra Quem Gosta é Bom e Unidos da Cachorra.

Em 2021, o Carnaval ocorre entre 13 e 16 de fevereiro. O calendário oficial do Pré-Carnaval em Fortaleza começa quatro semanas antes - ou seja, seria em 15 de janeiro. Faltam três meses. A Organização Mundial da Saúde (OMS) projeta que há esperança de que haja uma vacina disponível antes do fim deste ano. O Ministério da Saúde estima que, no atual cenário, a vacinação no Brasil pode começar no primeiro trimestre do ano que vem.

A Prefeitura de Fortaleza ainda não tem posição oficial sobre o Carnaval 2021 - quando uma nova administração já terá tomado posse e terá a decisão final sobre os festejos. No Governo do Estado, o secretário do Turismo chegou a declarar, em agosto, que até mesmo a festa de Réveillon em Fortaleza, ainda em dezembro deste ano, seria realizada, embora em formato ainda a ser definido. "Haverá Réveillon, sem dúvidas. Ninguém cancela o Réveillon. Mas em qual modelo ele deve ocorrer, ainda estamos estudando", disse Arialdo. Porém, o assessor especial de comunicação do Governo do Ceará, Chagas Vieira, informou que nada estava definido, havendo apenas discussões e propostas.

"(...) o atual cenário exige recolhimento e paciência, nos obrigando a um afastamento momentâneo, que é sofrido, mas, também, é garantia de saúde para estarmos juntos por muito mais tempo", diz a nota divulgada pelos blocos.

"Por isso, nós, que sempre soubemos o valor do encontro plural das multidões, estabelecemos como condição irreversível para pormos os blocos na rua, em 2021, a existência de uma vacina eficiente e segura contra o Novo Coronavírus (Sars-Cov-2), bem como a realização, por parte do poder público, de uma ampla campanha de imunização gratuita da população", acrescenta o documento. Os nove blocos prestam solidariedade a quem perdeu amigos e familiares, felicitam aqueles que se recuperaram e saúdam quem neste momento está em tratamento.

Pelo Brasil

Desfile das escolas de samba do Grupo Especial no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Portela.
Desfile das escolas de samba do Grupo Especial no Sambódromo da Marquês de Sapucaí. Portela. (Foto: Fernando Frazão)

No Rio de Janeiro, as escolas de samba já decidiram adiar os desfiles, também pela falta de definição sobre a vacinação. Com os complexos preparativos necessários e o dinheiro que precisa ser arrecadado para fazer a festa da Marquês de Sapucaí, as escolas já definiram que não desfilarão em fevereiro, durante o Carnaval. É possível que as apresentações ocorram no meio de 2021, mas condicionada à imunização da população.

Em São Paulo, ainda em julho a Prefeitura decidiu adiar o Carnaval tanto das escolas de samba quanto dos blocos de rua. O atual prefeito, Bruno Covas (PSDB), projetou que a festa possa ocorrer a partir de maio. Em Salvador, o atual prefeito, ACM Neto (DEM), também anunciou o adiamento da festa, prevista agora para julho de 2021. Nas cidades pernambucanas de Olinda e Recife, a definição sobre o Carnaval ficará para depois das eleições municipais, em novembro.

Vacinas

Na semana passada, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou haver possibilidade de que uma vacina esteja disponível até o fim deste ano. "Precisaremos de vacinas, e há esperança de que até o fim deste ano tenhamos uma vacina. Há esperança", afirmou Ghebreyesus após reunião do comitê executivo que trata da Covid-19 na OMS, de acordo com informação da agência de notícias Deutsche Welle.

Na última quinta-feira, 8, o secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, informou que a previsão atual é de que a vacinação no Brasil comece no primeiro trimestre de 2021, dado o atual estágio de desenvolvimento e testes. A previsão, conforme Franco, é de que estejam disponíveis 140 milhões de doses no primeiro semestre de 2021.


Nota na íntegra:

Nota à Sociedade Fortalezense

Fortaleza, 12 de outubro de 2020

Nós, que atuamos no Pré-Carnaval e no Carnaval de Fortaleza, festejos que tradicionalmente inauguram o calendário cultural da nossa cidade, numa pulsante expressão de alegria, esperança e afetos, publicamos esta nota para manifestar nosso compromisso com a vida e com o bem-estar dos fortalezenses, neste tempo de dores e incertezas causadas pela pandemia de Covid-19.

Prestamos solidariedade aos que perderam amigos e familiares, nos congratulamos com aqueles que venceram a doença e nos irmanamos com os que, neste momento, lutam para superá-la.

Os blocos carnavalescos de Fortaleza sempre foram e seguirão sendo, espaços de tolerância e cultura de paz, nos quais todas e todos, independentemente de raça, de credo, de gênero e de filiação partidária, são convidados a celebrar fraternalmente a vida. É esse espírito de apreço pela diversidade e pela plenitude do viver que nos faz entender que o atual cenário exige recolhimento e paciência, nos obrigando a um afastamento momentâneo, que é sofrido, mas, também, é garantia de saúde para estarmos juntos por muito mais tempo.

Por isso, nós, que sempre soubemos o valor do encontro plural das multidões, estabelecemos como condição irreversível para pormos os blocos na rua, em 2021, a existência de uma vacina eficiente e segura contra o Novo Coronavírus (Sars-Cov-2), bem como a realização, por parte do poder público, de uma ampla campanha de imunização gratuita da população.

Até lá, parafraseando a célebre canção, vamos nos guardando para quando o carnaval puder chegar.

Assinam esta nota os blocos Bonde Batuque, Camaleões do Vila, Caravana Cultural, Chão da Praça, Concentra Mas Não Sai, É Só Isso Mesmo, Luxo da Aldeia, Pra Quem Gosta é Bom e Unidos da Cachorra.