Logo O POVO+

Jornalismo, cultura e histórias em um só multistreaming.

Participamos do

Artista cearense faz campanha de arrecadação para doutorado em SC

Professora, artista e pesquisadora travesti, Isadora Ravena passou em primeiro lugar para o Doutorado em Artes da Cena da Universidade do Estado de Santa Catarina

"Ajude uma travesti a se tornar doutora". É esse o convite da professora, pesquisadora e artista Isadora Ravena. Nascida em Uruburetama, a cearense — licenciada em Teatro e Mestra em Artes pela Universidade Federal do Ceará (UFC) — começa em agosto o processo de Doutorado em Artes da Cena da Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC). Apesar de ter passado em primeiro lugar na seleção, a previsão é que a pesquisadora só consiga bolsa acadêmica em 2023. A partir disso, Ravena está em campanha de arrecadação de recursos para conseguir se sustentar em Florianópolis ao longo do segundo semestre deste ano. É possível doar pela plataforma Vakinha ou fazer contribuir por pix pela chave 2913456@vakinha.com.br.

Tendo atuado nos últimos anos como professora temporária da rede pública de ensino da Prefeitura de Fortaleza, Ravena tem percurso acadêmico dedicado à população travesti e aos saberes travestis, ministrando cursos e oficinas sobre os temas, além de produzir obras artísticas em diferentes linguagens.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

No doutorado da UDESC, Ravena será orientada pela performer, curadora e crítica Dodi Leal, primeira professora trans efetiva do ensino superior público na área das artes. As aulas começarão em 15 de agosto e serão presenciais, demandando que a cearense encerre o contrato como professora temporária e se mude para a capital catarinense. 

A meta da campanha virtual é arrecadar valores para bancar a passagem, aluguel, luz, água, internet, alimentação, transporte e demais necessidades da vida em Florianópolis pelo menos pelos primeiros meses do doutorado.

A estimativa é conseguir R$ 9,6 mil em contribuições. Até a publicação desta matéria, a campanha havia arrecadado R$ 3.530,97, pouco mais de um terço da meta total.

"Há 10 anos, o Ceará formava a primeira travesti doutora do Brasil: a querida Professora Dra. Luma Andrade. De lá até aqui muita coisa mudou, mas infelizmente ainda somos poucas a ter esse título", afirma Ravena no texto da campanha.

De acordo com dados da Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), a estimativa é de que 70% da população trans não concluiu o ensino médio e apenas 0,02% alcançou o ensino superior, informa ainda o texto.

"Sei que sou exemplo pra muitas travestis que sonham em um dia seguir a carreira acadêmica", diz a professora na campanha. "Com sua ajuda, continuarei produzindo pesquisa de qualidade que aponte para futuros não mais marcados pela violência, pela patologização e pelo extermínio dos nossos corpos, no país que mais mata travestis e transexuais no mundo", segue.

Campanha "Ajude uma travesti a se tornar doutora"

Arrecadação de recursos para sustento da professora, pesquisadora e artista cearense Isadora Ravena em Florianópolis, onde fará doutorado na UDESC, por quatro meses

Estimativa de valores: passagem aérea - R$ 800 + aluguel, luz, água e internet - R$ 1200/mês; alimentação - R$ 600/mês; transporte e demais necessidades - R$ 400/mês, por quatro meses, totalizando R$ 9600
Contribua na plataforma Vakinha
Contribua via Pix usando a chave 2913456@vakinha.com.br

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar