Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Cine Ceará abre inscrições para três mostras competitivas nesta terça, 10

Os cineastas podem inscrever seus longas ou curtas até 10 de setembro. As mostras competitivas são: Ibero-americana de Longa-metragem, Brasileira de Curta-metragem e Mostra Olhar do Ceará
Autor - Clara Menezes
Foto do autor
- Clara Menezes Autor
Tipo Noticia

O “Cine Ceará – Festival Ibero-americano de Cinema” abre inscrições nesta terça-feira, 10 de agosto. Durante um mês, cineastas poderão inscrever seus filmes para competir em três mostras.

A primeira é a Mostra Olhar do Ceará, que está aberta a todos os cearenses ou que residem no Ceará há mais de três anos. Já a Competitiva Brasileira de Curta-Metragem está disponível para os brasileiros ou para quem é residente no País.

A terceira é a Mostra Competitiva Ibero-Americana, direcionada a diretores da América Latina. Com onze categorias, o “Melhor Loga-Metragem” receberá R$ 20 mil. Já os outros vencedores desta competição ganharão R$ 6 mil.

Todas as produções devem ser dos gêneros de ficção, documentário, animação ou experimental. As obras também precisam ter sido concluídas a partir de janeiro de 2020.

O regulamento e os formulários estarão no site oficial do evento. As inscrições, que são gratuitas, permanecem abertas até 10 de setembro. O resultado está previsto para sair no dia 10 de outubro.

Neste ano, o 31º Cine Ceará acontece em formato híbrido entre 27 de novembro e 3 de dezembro. No Cineteatro São Luiz, será possível assistir aos longas das mostras Ibero-Americana e Olhar do Ceará. Esses conteúdos também estarão no Globoplay.

Além disso, os curtas da Competitiva Brasileira e da Olhar do Ceará serão exibidos no Cinema do Dragão e no canal do Youtube do evento.

Inscrições - 31º Cine Ceará

Quando: de terça-feira, 10, a 10 de setembro
Onde: no site do Cine Ceará

Podcast Vida&Arte

O podcast Vida&Arte é destinado a falar sobre temas de cultura. O conteúdo está disponível nas plataformas Spotify, Deezer, iTunes, Google Podcasts e Spreaker.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Casa Amarela Eusélio Oliveira

00:00 | Jul. 28, 2021
Autor Rosemberg Cariry
Foto do autor
Rosemberg Cariry Autor
Ver perfil do autor
Tipo Opinião

A Casa Amarela Eusélio Oliveira, da Universidade Federal do Ceará, comemora 50 anos, e essa efeméride merece o aplauso e o reconhecimento de todos nós. Surgida, no ano difícil de 1971, graças ao empenho e ao engenho de Eusélio Oliveira, um dos pioneiros do cinema cearense.

A Casa Amarela foi posteriormente administrada e ampliada pelo cineasta Wolney Oliveira, crescendo muito em suas ações voltadas para a formação e a difusão do audiovisual.

Sede de importantes acontecimentos culturais e artísticos, em época de acirradas paixões, por ali passaram importantes nomes do cinema nacional e aquele espaço vivo contribuiu de forma decisiva para formação de jovens cineastas e amantes do cinema.

Seria demorado citar todos os seus professores que estão em atividade ou que por ali passaram, mas basta citar nomes como Eusélio Oliveira, Firmino Holanda, Joe Pimentel, Marcos Moura, Wolney Oliveira, Tito Almeijeiras e Telmo Carvalho, entre tantos outros, para que se tenha uma dimensão da sua importância.

O Telmo Carvalho deu grande contribuição ao Nuca (Núcleo de Cinema de Animação da Casa Amarela Eusélio Oliveira).

O Nuca é hoje dos mais importantes núcleos de animação do Nordeste. Por iniciativa de Wolney Oliveira, hoje há um importante projeto para funcionar na Casa Amarela: um memorial do cinema cearense.

Atualmente, o Ceará tem dois cursos superiores de cinema (Unifor e UFC) e vários cursos técnicos (destacando-se a Vila das Artes, o Porto Iracema e CCPJ) e se impõe como um dos mais importantes polos de produção de audiovisual do Brasil.

No entanto, não podemos pensar esse florescer sem a iniciativa da Casa Amarela, juntamente com associações de cineastas, de projetos de polos, de Casas de Cinema e TVs locais, de pequenas produtoras, de festivais, e mesmo de iniciativas particulares que mudaram por completo a cena audiovisual regional.

O próprio Cine Ceará, tão decisivo para o desenvolvimento do cinema cearense e nordestino, nasce na Casa Amarela, a partir de outras ações pioneiras. Estão de parabéns a Casa Amarela e Wolney Oliveira, incansável defensor do desenvolvimento do audiovisual cearense. n

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags