PUBLICIDADE
Vida & Arte
NOTÍCIA

BBB 21 gera emoções negativas em 86% dos brasileiros

De acordo com a pesquisa, 52% dos brasileiros estão acompanhando o reality

20:04 | 15/02/2021
Nego Di é um dos participantes envolvidos em polêmicas no BBB 21
 (Foto: Divulgação)
Nego Di é um dos participantes envolvidos em polêmicas no BBB 21 (Foto: Divulgação)

A cultura do cancelamento em rede nacional está incomodando e despertando sentimentos negativos nos brasileiros. Em pesquisa independente realizada pela Hibou, empresa de monitoramento de consumo, com mais de dois mil respondentes, 87% dos brasileiros acredita que sim, o que acontece dentro da casa do BBB21 é cancelamento.

Dos 52% dos brasileiros que estão acompanhando o reality, 86% já sentiram emoções negativas fortes em duas semanas de programa, em ordem de expressividade, são mais comuns os sentimentos de raiva, tristeza, preconceito, humilhação, indignação, nojo, repúdio e falta de empatia. 6,7% dos entrevistados está pensando em parar de assistir ao programa, sendo 50% por achar o conteúdo pesado.

Leia também | Fagner homenageia Belchior em programa da TV Cultura nesta terça, 16

A pesquisa mediu a presença da cultura do cancelamento no dia a dia dos brasileiros. O significado da expressão "cancelamento" foi reconhecida por 61,8% dos brasileiros e as opiniões variam. Após a explicação do termo para todos os entrevistados, 44% entendem que cancelar não é algo novo, mas o que é novo é o repúdio ao ato por meio das redes sociais.

Antes de sair cancelando, 55,1% dos brasileiros acredita que é preciso entender os dois lados da história e para 54,7% isso pode se tornar uma arma na mão de pessoas mal intencionadas.

38% dos brasileiros sofreu algum tipo de cancelamento em algum momento da vida. Entretanto, mesmo com a indicação de repúdio ao ato, 50,7% das pessoas já ocuparam o papel de "cancelador" contra uma marca ou empresa, 52,7% com artistas ou páginas nas redes sociais e 48,6% com pessoas da sua relação direta.

Leia também | Boninho confirma edição no vídeo enviado por esposa de Caio

Seja na mesa do almoço, no escritório ou em casa, 74,5% entende que o ato de cancelar é o mesmo que bullying. Dentre os temas que justificariam essas atitudes 88,6% acredita que maus tratos a animais merecem cancelamento, 86,8% maus tratos a crianças, 86,1% estupro, 82,7%, maus tratos a idosos, 80,6%, violência doméstica, 78,1% assédio sexual, 75,5% racismo, 68,6% desvio de dinheiro público, 65,7% discriminação sexual é cancelável, entre outros.

Um total de 2467 pessoas responderam de forma digital, entre 5 e 6 de fevereiro, em território nacional, garantindo 95% de significância e 2% de margem de erro nos dados revelados. A faixa etária é acima de 20 anos, englobando o público ABCD, sendo 56% casados e 58% mulheres.