PUBLICIDADE
Vida & Arte
NOTÍCIA

Elisabete Jaguaribe assume presidência interina no Instituto Dragão do Mar

A mudança acontece após saída de Paulo Linhares do Instituto. Elisabete foi titular da chefia-de-gabinete da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura na gestão de Gilberto Gil

Leonardo Maia
23:30 | 29/01/2021
Elisabete Jaguaribe participou da gestão do ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil. (Foto: Divulgação/Ascom/Instituto Dragão do Mar)
Elisabete Jaguaribe participou da gestão do ex-ministro da Cultura, Gilberto Gil. (Foto: Divulgação/Ascom/Instituto Dragão do Mar)

A nova presidente interina por 30 dias do Instituto Dragão do Mar (IDM) é Elisabete Jaguaribe, então diretora de formação da organização e da Escola Porto Iracema das Artes. A decisão foi tomada em reunião realizada na tarde desta sexta-feira, 29, pelo Conselho de Administração do órgão. A mudança na gestão do IDM acontece após a saída do gestor e pesquisador Paulo Linhares. Ele irá se juntar ao quadro do Instituto de Planejamento de Fortaleza (Iplanfor), comandado por Élcio Batista, vice-prefeito de Fortaleza.

Leia Mais | Demitri Túlio: Saída de Paulo Linhares faz parte de pacote de mudanças estratégias comandadas pelo governador Camilo Santana

Conhecida como Bete Jaguaribe, a presidente interina tem experiência no campo da gestão pública de cultura, tendo coordenado projetos como Instituto Dragão do Mar de Artes e Indústria Audiovisual e Bureau de Cinema e Vídeo do Ceará. Na gestão do Ministro Gilberto Gil, ela ocupou a chefia de gabinete da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. Atualmente, é diretora do Porto Iracema das Artes e coordena o Curso de Cinema e Audiovisual da Universidade de Fortaleza (Unifor).

O IDM é responsável pela gestão de 12 equipamentos pertencentes ao Governo do Estado do Ceará, vinculados à Secretaria da Cultura do Ceará (Secult-CE), entre eles o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, o Centro Cultural Bom Jardim, o Cineteatro São Luiz e o Theatro José de Alencar.

Paulo Linhares estava à frente do Instituto desde 2012 e criou a Lei Estadual de Incentivo à Cultura, como também participou da criação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, da Bienal do Livro, da Orquestra Eleazar de Carvalho, da Escola Porto Iracema das Artes e da Maloca Dragão. Em nota, a assessoria do IDM considerou que o ex-presidente deixou “grandiosa contribuição” para a organização e a cultura do Ceará.