PUBLICIDADE
Noticia

Coletivo Minas Sonoras apresenta série de lives sobre mulheres na música

A artista cearense Mona Gadelha é a convidada desta sexta-feira, 20, no projeto que discute o cenário musical feminino no Brasil

19:58 | 19/11/2020
Mona Gadelha debate sobre mulheres e indústria da música em Live (Foto: Fabio Lima)
Mona Gadelha debate sobre mulheres e indústria da música em Live (Foto: Fabio Lima)

“Nos palcos, nas praças, na rua juntas somos sonoras” é um dos trechos da música “Minas Sonoras”, que batiza o coletivo criado por Laura Finocchiaro e Ana Martins, com participação de Patrícia Mellodi. O intuito é promover vozes femininas e empoderar mulheres que vivem de música. Toda sexta-feira, às 20h30min, até o dia 5 de dezembro, as artistas promoverão lives para debater o tema na página do coletivo no Facebook. Amanhã, 20 de novembro, as artistas contarão com a presença de duas cantoras e compositoras: a baiana Sylvia Patricia e a cearense Mona Gadelha. Elas participam para discutir sobre produção musical

O projeto começou em 2018 quando Laura e Ana se uniram para criar um festival de música em que só mulheres participasse. O evento não aconteceu, mas elas prosseguiram com a ideia. Durante a quarentena, elas se uniram com a artista Patrícia Mellodi e organizaram diversas transmissões ao vivo para debater o assunto. Essa semana, o trio ainda lançará uma composição original que leva o nome do coletivo. A faixa, escrita e musicada pelas organizadoras, é parte do próximo álbum de Finocchiaro que busca provar que mulheres, inclusive com mais de 50 anos, podem fazer o que quiserem. 

“Acho que as ações coletivas são cada vez mais necessárias. Talvez não exista outra forma de fortalecer as cenas musicais, além desse movimento em conjunto. É gratificante e prazeroso dividir pensamentos, compartilhar ideias. Música é celebração e poder juntar histórias, canções e afinidades também é um movimento de resistência”, partilha Mona Gadelha.

De acordo com Finocchiaro, a ideia é se fortalecer individualmente e como grupo, além de lançar algo que possa fazer a diferença na vida de outras pessoas. “Ser mulher na indústria da música brasileira é um caos e a gente precisa se apoiar e criar esses espaços”, explica. 

Leia também | Grammy Latino terá shows de Anitta e Emicida; veja onde assistir ao vivo à transmissão do prêmio

Mona Gadelha acrescenta, falando sobre sua experiência no meio, sendo nordestina. “Eu vivi muitos anos em São Paulo. Porque antes do advento da internet, sair da sua terra, ir para o eixo Rio-São Paulo, era praticamente uma regra. Acredito que as coisas continuem difíceis, mas com a possibilidade de ampliar a visibilidade nos meios digitais já é possível cantar para o mundo”.

Debates Minas Sonoras

Quando: toda sexta-feira, às 20h30min, até o dia 5 de dezembro

Onde: na página Minas Sonoras no Facebook