PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Ex-ministro da Cultura, Juca Ferreira defende criação de Comitê da Cultura no Consórcio Nordeste

O secretário da Cultura do Ceará, Fabiano Piúba, responde que criação de um Fundo da Cultura e do Audiovisual já integra pautas do Fórum dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura do Nordeste

Natália Coelho
20:01 | 21/05/2020
Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura, durante entrevista no hotel Blue Tree. (Foto: Camila de Almeida em 10/3/2015)
Juca Ferreira, ex-ministro da Cultura, durante entrevista no hotel Blue Tree. (Foto: Camila de Almeida em 10/3/2015)

O sociólogo Juca Ferreira, duas vezes ministro da Cultura nos governos Lula e Dilma, participou de live com a editora de Agenda Cultural do Vida&Arte, Camila Holanda, pelo perfil do Instagram da editoria nesta quinta-feira, 21. Em conversa, o político, filiado ao Partido dos Trabalhadores (PT), defendeu a criação de um Comitê de Cultura pelo Consórcio Nordeste.

Formado pelos nove governadores da região Nordeste, o Consórcio anunciou recentemente a criação de um Comitê Científico contra Covid-19, coordenado pelo cientista Miguel Nicolelis, que já conversou com O POVO, e pelo ex-ministro de Ciência e Tecnologia, Sérgio Rezende.

Leia também | Brigada Emergencial de Saúde é criada pelo Consórcio Nordeste

O ex-ministro também defendeu as potencialidades econômicas da economia criativa da região. “Sou favorável ao consórcio do Nordeste crie uma frente de trabalho. Se você for ver, os carnavais, os são joão, as outras celebrações, as pequenas atividades artesanais de natureza cultura, desenvolvida pela própria população, tudo isso é economia”, declarou o ministro, que também já trabalhou como secretário de Cultura do Município de São Paulo.

Em resposta, o titular da Secretaria de Cultura do Ceará (Secult), Fabiano Piúba, explica que o Fórum dos Secretários e Dirigentes Estaduais de Cultura do Nordeste já preparou uma proposta para a criação de um Fundo de Cultura e Audiovisual, captado a partir de recursos externos, a ser executada pelo Consórcio.

Para além do contexto da pandemia, a proposta é que o fundo seja estrutural, tendo assim, um comitê gestor, de forma a trabalhar com várias linhas que envolvam a identidade cultural, a memória, a economia e para a circulação das artes pela região. “Estamos aguardando para entrar na pauta (do Consórcio). Temos que apresentar e submeter à apreciação dos governadores. O Fundo teria outra natureza jurídica do poder público, que teria então facilidade administrativa e jurídica para para executar coisas com mais celeridade”.

Também na entrevista com Juca Ferreira, o polític opinou sobre um despreparo de Regina Duarte como secretária especial da Cultura. A atriz deixou o cargo nessa quarta, 21, após quase quatro meses na pasta. “A saída dela não me preocupa. Quem me preocupa é quem parece que vai entrar, o ator Mário Frias, que não conheço bem, mas o que tem saído é que não é uma pessoa preparada para enfrentar e contribuir com o desenvolvimento cultural do País”.

A Cinemateca de São Paulo e é um espaço que salvaguarda o acervo da história do audiovisual brasileiro. Em carta aberta, a instituição - que sofre com problemas estruturais, organizacionais e de orçamento -, indica não ter recebido nenhuma parcela do orçamento anual destinado a ela - no valor de R$ 12 milhões.