PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Globo de Ouro reforça caminhos e aponta novos até o Oscar

Entre surpresas e vitórias já esperadas, premiação da Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) destacou o longa de guerra "1917" e "Era Uma Vez… Em Hollywood" como grandes vencedores

João Gabriel Tréz
06/01/2020 16:14:07
Cena do filme Era uma vez em Hollywood
Cena do filme Era uma vez em Hollywood (Foto: Divulgação)

Líder de indicações tanto nas categorias de cinema quanto de televisão na premiação de 2020 do Globo de Ouro, a Netflix não repetiu os números bem sucedidos quando se fala de vitórias. Tendo emplacado 34 indicações no total, a gigante do streaming só conseguiu duas estatuetas - para Melhor Atriz em Série de Drama (Olivia Colman, “The Crown”) e Melhor Atriz Coadjuvante (Laura Dern, “História de Um Casamento”). Enquanto isso, bem mesmo se deram obras de estúdios tradicionais: “Era Uma Vez… em Hollywood”, de Quentin Tarantino, levou três troféus incluindo Melhor Filme de Comédia/Musical; o drama de guerra “1917” foi o grande vencedor em Melhor Filme de Drama e Melhor Direção; e o fenômeno pop “Coringa” venceu Melhor Ator em Drama (Joaquin Phoenix) e Melhor Trilha Sonora.

As vitórias de “1917”, dirigido por Sam Mendes, foram das mais surpreendentes da noite - só não superaram a conquista do prêmio de Melhor Animação pelo pequeno “Link Perdido”, único roteiro original em uma categoria repleta de sequências como “Toy Story 4” e “Frozen 2”. O filme de Mendes, que traz a temática da Primeira Guerra Mundial, estava sendo louvado por questões técnicas, mas não parecia forte nas apostas de categorias mais centrais. Pouca gente viu, já que até nos Estados Unidos o lançamento dele foi limitado, o que torna o sucesso do longa na premiação um bem-vindo holofote - mais para o público, menos para o Oscar.

O Globo de Ouro ocorreu dois dias antes do final da votação que definirá os indicados na grande premiação deste ano. Amanhã, 7, é o prazo máximo para os milhares de votantes da Academia de Hollywood, que definem os caminhos do Oscar, terem enviado seus votos. Por isso, é difícil saber o quanto os prêmios entregues na noite de ontem, 5, podem influenciar nas decisões. A divulgação da lista de indicados ao Oscar ocorre na próxima segunda, 13, enquanto a cerimônia é no dia 9 de fevereiro.

Alguns nomes vitoriosos no Globo de Ouro devem se repetir, mas mais por já estarem se solidificando enquanto favoritos na disputa já há meses do que pela influência da premiação da HFPA. É o caso de Laura Dern (Melhor Atriz Coadjuvante por “História de Um Casamento”), Brad Pitt (Melhor Ator Coadjuvante por “Era Uma Vez… em Hollywood”) e Renée Zellweger (Melhor Atriz em Drama por “Judy: Muito Além do Arco-Íris”). Outros favoritos também triunfaram neste domingo, mas devem ter ainda mais destaque no Oscar, como é o caso do sul-coreano “Parasita”, de Bong Joon-Ho, que levou Melhor Filme Estrangeiro no Globo de Ouro, tendo também sido indicado a Melhor Roteiro e Melhor Direção. As atenções, no fim das contas, devem ir para o destino do original Netflix “O Irlandês”, de Martin Scorsese. Indicado em cinco categorias, o elogiado drama, outrora considerado favorito, saiu de mãos vazias.

Confira lista de vencedores abaixo:

Melhor filme de Drama: “1917”

Melhor Filme de Comédia/Musical: “Era uma Vez em… Hollywood”

Melhor Atriz em Drama: Renée Zellweger (“Judy – Muito Além do Arco-Íris”)

Melhor Ator em Drama: Joaquin Phoenix (“Coringa”)

Melhor Ator em Comédia/Musical: Taron Egerton (“Rocketman”)

Melhor atriz em Comédia/Musical: Awkwafina (“The Farewell”)

Melhor Atriz Coadjuvante: Laura Dern (“História de um casamento”)

Melhor Ator Coadjuvante: Brad Pitt (“Era uma Vez em… Hollywood”)

Melhor Direção: Sam Mendes (“1917”)

Melhor Canção: “(I’m Gonna) Love Me Again” (“Rocketman”)

Melhor Animação: “Link perdido”

Melhor Roteiro: Quentin Tarantino (“Era uma Vez em… Hollywood”)