PUBLICIDADE
Opiniao

Último dia para conferir a exposição Corpo Urbano, no espaço Cegás de Cultura

Jornalista Eveline Matos traz suas impressões sobre a exposição, que apresenta trabalhos do artista urbano Ise, de São Paulo, e integrou a programação do Festival Concreto de Arte Urbana

29/11/2019 12:17:01
Obras do artista Ise, de São Paulo
Obras do artista Ise, de São Paulo (Foto: divulgação)

Nada mexe com a alma e inspira a mente com tamanha magia como um lindo jardim de flores e pássaros coloridos, aos sons variados. Quando conseguimos nos transportar a esse momento tão sublime, poético e intimista, percebemos a preciosidade da vida.

A arte nos acolhe com o manto da mudança, é o caminho da transcendência que nos liga ao sublime, ao sagrado. É quando momentaneamente tiramos férias do mundo real e nos transportamos para a magia da imaginação acompanhada da beleza com uma suave elegância nos elevando a desfrutar do benefício, embora temporário, de uma serena alegria.

Toda voz silenciada é restabelecida na expressão artística.

Há uma luz que ilumina o espírito do artista dentro e fora dele que faz tudo parecer possível.

E não mais que de repente entre desejos e nuvens abre-se um véu das possibilidades tão ocultas e impossíveis como flores que nunca conseguiram nascer no asfalto sólido e endurecido de muitas opacas mentes viventes.

Chegou então a magia da arte, da luz que eleva todas as possibilidades da beleza, do amor.

É nesse espírito de contemporaneidade e sublimidade que nos deparamos com a bela exposição de artes apresentada no Espaço Cultural da Cegás, do artista Ise.