PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Exibição do cearense "Greta" celebra trabalhadores do audiovisual

Sétimo e penúltimo dia de Cine Ceará é marcado pela presença de Marco Nanini, protagonista do longa "Greta", dirigido pelo cearense Armando Praça

05/09/2019 21:07:41
Marco Nanini, ator integrante do filme Greta, exibido em Fortaleza
Marco Nanini, ator integrante do filme Greta, exibido em Fortaleza(Foto: Rogerio Resende/R2Foto)

Entrando na reta final, o 29º Cine Ceará recebeu na noite desta quinta, 5, no Cineteatro São Luiz, a primeira exibição no Brasil do filme "Greta", último longa da competitiva principal do festival. Dirigido por Armando Praça, cearense nascido em Aracati, o filme tem como protagonista o célebre ator Marco Nanini em um papel bem diferente daqueles pelos quais ficou marcado. Na trama, baseada no texto teatral "Greta Garbo, Quem Diria, Acabou no Irajá", de Fernando Melo, Nanini é Pedro, um enfermeiro de 70 anos que, para ajudar uma amiga transexual que está com problemas de saúde e, para abrir novo leito no hospital, se aproxima de um agressivo paciente recém-chegado levando-o para a própria casa.

O caráter de celebração de diversidades e resistências que vem sendo marca desta 29ª edição do Cine Ceará foi, mais uma vez, o destaque da noite. O ator celebrou a exibição em Fortaleza em entrevista ao O POVO antes da exibição. "É a primeira vez que nós apresentamos o filme, aqui em Fortaleza, no Brasil. Estamos muito ansiosos", dividiu. Ao ser questionado sobre as declarações do presidente Jair Bolsonaro sobre a cultura e, em específico, a abordagem em filmes de assuntos de gênero e sexualidade, Nanini afirmou: "Acho que ele não gosta de cultura, mas um povo não pode viver sem cultura".

Além de "Greta", quatro curtas da mostra competitiva também foram apresentados: "Ilhas de Calor" (AL), de Ulisses Arthur; "Pop Ritual" (CE), de Mozart Freire; "Rua Augusta, 1029" (SP), de Mirrah Iañez; e "O grande amor de um lobo" (RN), de Kennel Rogis e Adrianderson Barbosa. Os diretores das obras também fizeram menções ao momento de crise do audiovisual nacional e da política.

Na apresentação do longa antes da exibição, a menção ao nome do filme cearense e do protagonista Marco Nanini já foi o suficiente para os aplausos irromperem no São Luiz. Elenco e equipe, somando mais de 30 pessoas, lotaram o palco do Cineteatro e se apresentaram um a um, nominalmente e citando a função que exerceram. A motivação foi celebrar os trabalhadores da cultura e do audiovisual. "Nessa noite eu convido vocês a abrirem seus corações e, sem reservas, recebam nossos personagens", afirmou o diretor Armando Praça. O filme estreia nas salas no dia 10 de outubro.

O Cine Ceará terá encerramento amanhã à noite, às 19h30, também no Cineteatro São Luiz. Além da premiação dos vencedores das categorias de longas e curtas - incluindo do Troféu Samburá, entregue pelo Vida&Arte e pela Fundação Demócrito Rocha -, a ocasião contará com homenagem ao ator Matheus Nachtergaele e exibição do longa cearense "Pacarrete". O momento será apenas para convidados. Para o público que quiser ver o filme, uma sessão aberta e gratuita ocorrerá no Cinema do Dragão às 17h30, com distribuição de ingressos uma hora antes da sessão.

Você também pode gostar: