PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Itaú Cultural abre edital para seleção de projetos; investimento será superior a R$ 15 milhões

Promovido pelo Itaú Cultural, o Rumos abre novo ciclo de seleções. Deverá ser investido valor superior aos R$ 15 milhões em projetos culturais  

02/09/2019 17:03:22

Um dos mais antigos editais de fomento à cultura brasileira lançou mais uma edição nesta segunda-feira, 2 de setembro. As inscrições para o ciclo 2019-2020 do Rumos, capitaneado e custeado pelo Itaú Cultural, acontecem entre os dias 3 de setembro e 18 de outubro. São aceitas propostas de diversas linguagens artísticas. Diferente de outros certames, o Rumos mantém um caráter disruptivo. Não há número máximo ou mínimo de propostas a serem contempladas. Também não há um modelo formal de inscrição para ser seguido pelos proponentes. Os critérios para aprovação estão baseados, sobretudo, na singularidade, na relevância e na consistência das proposições inscritas.

Vânia Leal, integrante da comissão externa de seleção do certame, explica que o intuito é manter a linha de diversidade cultural já cultivado nas últimas edições do Rumos. “Com respeito particular a cada comunidade que faz parte desse projeto”, pontua a jurada, que é originária da Região Norte. Também diferente de outros concursos culturais, o Rumos realiza processo de acompanhamento, apoio jurídico e produção dos projetos aprovados. Por isso, a procura pelo edital é tão grande em várias regiões. Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, elucida que ao ser aprovada cada proposta ganha um produtor que faz trabalho específico das etapas - eliminando, assim, o terror das chamadas “prestações de contas”.

Uma novidade desta edição é que os proponentes, caso queiram, poderão utilizar seus nomes sociais no ato da inscrição. A mudança faz parte da política de inclusão e acessibilidade que está sendo galgada pelo Rumos desde 2013, quando o edital passou por reformulações e se distanciou de outros certames. O intuito, explicam os gestores do Itaú Cultural, é ter projetos mais diversos e mais representativos - aproximando comunidades e toda produção artística que está fora dos grandes centros. A Região Nordeste, explica Saron, já tem uma grande participação no número de inscritos e de selecionados, mas é necessário reforçar a representação das regiões Norte e Centro-Oeste. 

Ao longo da história, o Rumos já contemplou 1,4 mil propostas originárias das cinco regiões brasileiras. Até chegar a esse número, entretanto, o certame precisou fazer análise de mais de 64 mil projetos inscritos durante os 22 anos de existência. Esse é um dos pontos mais debatidos pela equipe que constrói o Rumos. Aninha de Fátima, gerente de Comunicação do Itaú Cultural, elucida que os projetos passam por sucessivas leituras - envolvendo técnicos e especialistas. O processo seletivo envolve uma “comissão de avaliação” composta por 40 profissionais contratados pela instituição, que só tem a identidade revelada quando os contemplados forem revelados. Depois, há mais uma avaliação, feita por uma “comissão de seleção multidisciplinar”. Desse grupo, fazem parte profissionais como Ian Ramil, Kleber Lourenço, Leno Veras, Noemi Jaffe e Paula Gomes, além de gestores e especialistas do próprio Itaú Cultural. 

A estimativa é que mais de 7 milhões de pessoas já tenham sido afetadas pelos trabalhos como espectadoras. Em edições recentes, o Ceará conseguiu sempre aprovar um número relevante de projetos. No ciclo 2017-2018, por exemplo, foram seis propostas criadas em território cearense e apoiadas pelo Rumos - representando 5,5% do total de contemplados. Fazem parte desse recorte um projeto de patrimônio e memória chamado “Acervo Digital do Serviluz” e um projeto de formação chamado “Cinema no Brejo - laboratório rural de formação e experimentação audiovisual”. 

Na tentativa de incentivar a participação de maior recorte de artistas, os gestores do Itaú Cultural se deslocam na Caminhada Rumos. Todas as capitais são visitadas e acontecem conversas com as comunidades - explicando os termos e as expectativas do edital. A visita em Fortaleza está agendada para o dia 9 de outubro, quarta-feira. Sobre o diálogo com o território cearense, Saron destacou a receptividade do Instituto Dragão do Mar - instituição que tem abrigado as atividades do Itaú Cultural no Ceará. “Mas queremos dialogar ainda mais e estar presente em território cearense”, diz. 

Informações e inscrições podem ser feitas no link. 

NÚMEROS

15 milhões de reais foi o montante investido no último edital Rumos. A expectativa de Eduardo Saron, diretor do Itaú Cultural, é que o valor possa ser acrescido para o ciclo 2019-2020;

6 projetos cearenses foram contemplados na última edição do Rumos;

 9 de outubro é a data na qual a Caminhada Rumos vai passar por Fortaleza. O local do encontro ainda não foi divulgado.

*A repórter viajou a convite do Itaú Cultural.