Participamos do

Marcelo Jeneci faz shows em Iguatu e Juazeiro do Norte; confira entrevista

Cantor retorna ao Ceará este final de semana em Iguatu e Juazeiro do Norte
10:35 | Ago. 29, 2019
Autor Natália Coelho ESPECIAL PARA O POVO
Foto do autor
Natália Coelho ESPECIAL PARA O POVO Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Marcelo Jeneci retorna ao Ceará neste fim de semana para show em Iguatu e Juazeiro do Norte, nos dias 30 e 31 de agosto, respectivamente. A apresentação acontece em parceria conjunta com o Quinteto da Paraíba, em unidades do Serviço Social do Comércio do Ceará (Sesc-CE). Para comparecer, é necessário procurar o relacionamento com o cliente do Sesc Iguatu e Juazeiro do Norte (telefones no serviço) e levar um quilo de alimento. Na ocasião, a parceria apresenta sucessos anteriores do cantor e do grupo, bem como composições de outros artistas.

Guaia

“Guaia”, nome de seu novo disco, é um termo que faz alusão a “Guaianense”, distrito periférico de São Paulo em que Jeneci cresceu, traz mensagens de resistência, desde a ideia de que qualquer pessoa que venha do local pode “viver da própria expressão”, ao sentido mais amplo da mensagem. “É um território sonoro contemporâneo, capaz de falar pro mundo de igual para igual com os discos que são produzidos fora daqui. Tem alguns temas, como a mãe-terra, o pai, a divina criança e a palavra amor, que hoje é muito mal usada. Fala também sobre a transformação que a gente tem sido evocado”, destaca. No total, são 10 músicas que compõem "Guaia".

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Conexão, ritual, esperança e outras expressões são temas não só presentes nas letras de “Guaia”, mas também na forma como as melodias são conduzidas. Um destaque é a primeira faixa, intitulada “Emergencial”, que traz um canto suave indígena da cantora Ikashawhu, da aldeia Yawanawa, na sequência das palavras “é emergencial a gente se conectar com a terra”, na voz do cantor.

O amor, contudo, é a ideia principal trazida desde a primeira canção do artista até o novo álbum, como bem define Marcelo Jeneci. “É o amor leve, no sentido amplo da palavra, da nossa capacidade de entender quais coisas precisam ser revolucionadas, quais causas precisam ser abraçadas. Não é amor romântico. Falo da conexão do que precisa ser dito, do que está acontecendo agora no Brasil, por exemplo, da falta de amor que a gente tem vivido”, ressalta.

E mais do que o álbum, o cantor revela que pretende, em 2020, trazer um novo projeto além dos discos e dos palcos. Baseado na “musicoterapia”, Jeneci explica que a ideia é tocar piano em hospitais. “As pessoas que vão na minha casa, chamo para deitar embaixo do piano de cauda e eu vou tocando algumas notas. Faço um improviso que passa por frequências e canto algo relacionado à nossa infinitudes, de sermos sem fim. Algo que ative alguma renovação celular”, explica.

O sentir o outro, de acolhê-lo e a sua dor. O de estar em contato, de senti-lo de forma ampla, “umbilicalmente”. Esse foi um dos grandes aprendizados nesses quase dez anos de trajetória, segundo Jeneci. Claro, além do autocuidado, algo ressaltado como outro saber da trajetória. “Eu aprendi que dou conta de fazer tudo, não precisa correr. Comer bem, ter um bom sexo, cuidar de si. Ritualizar”, conclui.

Serviço:

Marcelo Jeneci e Quinteto da Paraíba

Quando: sexta-feira, 30/8 (Iguatu) e sábado, 31/8 (Juazeiro do Norte), às 21 horas

Quanto: R$ 15 (comerciário), R$ 18 (empresario), R$ 20 (conveniado) e R$ (público em geral) + 1kg de alimento não perecível

Outras informações: (88) 3581 1130 (Iguatu) e (88) 3587 1065 (Juazeiro do Norte)

 

Você também pode gostar:

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags