PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Mariana Aydar encerra programação do Circuito Sesc Junino em Fortaleza; confira entrevista

Cantora e compositora paulistana Mariana Aydar faz show gratuito nesta sexta-feira, no Sesc-Fortaleza (Centro), trazendo canções conhecidas e outras recentes que integram seu projeto "Veia Nordestina"

31/07/2019 15:44:26
Mariana Aydar (cantora e compositora paulistana)
Mariana Aydar (cantora e compositora paulistana)(Foto: Divulgação)

Mariana Aydar tem no forró uma relação bem particular, alinhavada sobretudo pelo afeto. “O forró entrou na minha vida muito cedo porque minha mãe (Bia Aydar) trabalhava com o Luiz Gonzaga, então, eu fiquei muito curiosa pra saber quem era aquela figura, o que é que ele cantava, o que ele fazia... E logo eu me deparei com o forró e ele nunca mais saiu da minha vida. Gostei muito”, relembra. Com a chegada do forró universitário a São Paulo, no final dos anos 1990, os laços se estreitaram de vez.

“Eu começava a sair toda noite pra dançar. Só queria saber de dançar forró! Eu tive muitos amigos no forró, muita coisa eu aprendi no forró, minha filha é fruto do forró, então eu devo muito ao forró, sabe? Casei com o pai da minha filha, que era do Forróçacana (Duani), meu ex-marido, e tive muitos amigos”, reforçou a cantora e compositora que, inclusive, conta ainda com a realização de um documentário em homenagem a Dominguinhos, “que é uma grande paixão na minha vida também. É uma grande influência na minha vida, dentro e fora da música”.

Com a trajetória iniciada pelas batidas do samba, mas sem deixar de lado o gênero abraçado pelo “Rei do Baião”, Mariana Aydar decidiu mergulhar ainda mais no forró com "Veia Nordestina". O projeto, que desdobra-se em quatro EPs (os três primeiros já foram lançados, respectivamente, nos meses de abril, junho e julho), traz o forró numa roupagem que mistura outras sonoridades, inclusive eletrônicas. “O 'Veia Nordestina', ele tem essa vontade de adicionar novos elementos ao forró, novas sonoridades e tal. E a minha banda, ela já está pronta para reproduzir isso nos palcos”, garante.

Para tanto, Mariana conta com a presença de um time formado pelos músicos Bruninho Marques (samples e MPC), Rafa Moraes (guitarra) e Magno Vitto (baixo), “que trazem essa outra sonoridade mais psicodélica e experimental”; Cosme Vieira (sanfona) e Fê Silva (zabumba), “que trazem toda a alma do forró, que nunca pode ser perdida em nenhuma música. Atração principal do encerramento do Circuito Sesc Junino, Mariana Aydar aterrissa em Fortaleza para apresentação gratuita nesta sexta-feira, 2, no Sesc-Fortaleza (Centro).

No repertório, além das canções de Veia Nordestina, um apanhado de outras que perpassam em carreira, iniciada oficialmente com Kavita 1 (2006). “Mesmo eu cantando as músicas novas dos três EPs lançados, é também um show onde eu mostro as coisas que eu já gravei da minha veia nordestina, como 'Te faço um cafuné', 'Preciso do teu sorrido', 'Onde está você'... Tem alguns clássicos também do Dominguinhos, do Alceu”, resume. A sonoridade de 'Veia Nordestina', dessa forma, completa-se com uma atenção especial para a questão feminista.

“Principalmente esse EP, ele é totalmente amarrado no discurso feminista, empoderado, político também. (A canção) 'Na Boca do Povo' fala também sobre esse momento triste que a gente está vivendo e outras músicas, como 'Se Pendura e Xilique', são bem empoderadas. A escolha do repertório também foi pensada nessa mulher livre e poderosa”, frisou. Quanto ao quarto EP, com lançamento previsto para o mês de outubro, ainda uma indefinição. “Ainda não está pronto, nem gravado, nem escolhido. É outro processo esse dos EPs em pensar em universos menores e contemplando a obra toda”, explica a paulistana.

“O processo foi sempre pensando, como sempre em todos os outros discos, no que bate o meu coração principalmente, mas também tentando contemplar algumas partes da música nordestina. Então tem um pagodão, trazendo a minha influência também da Bahia, tem frevo, xote, arrasta-pé, forró, tudo isso”, conclui. A programação de encerramento do Circuito Sesc Junino inicia com a apresentação dos três grupos tradicionais que conseguiram melhor classificação no evento - a saber: Flor do Caju (Pacajus), Junina Babaçu (Fortaleza) e Arriba Saia (Várzea Alegre) -, realizado desde o dia 22 de junho em 13 cidades da Capital e do interior.

SERVIÇO

Final do Circuito Sesc Junino com show de Mariana Aydar (SP)

Quando: sexta-feira, 2, a partir das 18 horas

Onde: Sesc-Fortaleza (rua Clarindo de Queiroz, 1740 - Centro)

Entrada: 2kg de alimentos não-perecíveis. A troca pelos ingressos acontece nesta quinta-feira, 1º, das 8h às 20 horas, no próprio Sesc-Fortaleza (limite de dois ingressos por pessoa)

Informações: sesc-ce.com.br

Teresa Monteiro