PUBLICIDADE
NOTÍCIA

Projeto apresenta histórias de heróis negros em escolas públicas de Fortaleza

Iniciativa pretende discutir ideia de território e identidade

30/07/2019 19:07:54
O espetáculo
O espetáculo "Histórias de Heróis Negros" faz parte do projeto "Gira de Heróis Negros"(Foto: Felipe Sales/ Divulgação)

O herói negro que salva seu povo de um ser mitológico. Essa é a história base do projeto “Gira de Heróis Negros”, que apresenta a partir desta sexta-feira, 2, o espetáculo infanto-juvenil “Histórias de Heróis Negros” para turmas de Ensino Infantil e Fundamental em cinco escolas públicas de Fortaleza e para uma instituição de saúde da região. A peça em questão aborda história de Sudika-Mbembe, herói mitológico do povo de Ambundos - grupo étnico africano - que usa seus poderes transcendentais para resgatar seu povo, engolido por um grande ser. A história tem como objetivo realizar diálogo com crianças e adolescentes sobre questões que envolvem ancestralidade, identidade e a relação afetiva com o território.

O projeto é criação dos atores Edivaldo Batista e Jhon Morais e surgiu após a leitura do livro “O Herói com Rosto Africano - Mitos da África”, do autor afro-americano Clyde W. Ford. “O livro faz estudo do herói na perspectiva africana. No mito que usamos, o personagem nasce como herói na comunidade”, explica Edivaldo Batista. Os artistas utilizam acessórios do folclore brasileiro e da cultura popular - como máscaras e a figura do bumba meu boi - para “contar e cantar” a história de Sudika-Mbembe.

Além de narrar o mito, a ideia é discutir outras questões que são abordadas na história. “Queremos conversar sobre o local de nascença e sobre o que seriam esses territórios. Também no conto há a ideia da ancestralidade, com princípios que vão na perspectiva de comunidade e do coletivo”, ressalta. Outro ponto que será abordado parte da ideia da imagem do herói que não é loiro e não tem olhos azuis. “É um protagonista que tem uma ideia de resistência, que sobrevive às estruturas e é ‘engolido’. Isso constituiu a possibilidade de dialogar sobre o que é ser herói”, explica Edivaldo Batista.

Além do espetáculo, o projeto ministra oficinas de narração de histórias para professores das escolas selecionadas, que se distribuem nos cinco bairros que agregam o território do Grande Bom Jardim. As apresentações ocorrem de 2 a 9 de agosto.

 Programação das apresentações nas escolas:

Quando: sexta-feira, 2 de agosto, às 8h30min e 14h

Onde: Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Florival Alves (rua Itatiaia, 1000 - Canindezinho)

Quando: segunda-feira, 5 de agosto, às 10h e 14h

Onde: Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Educador Paulo Freire (rua Coronel Fabriciano, 452 - Granja Portugal)

Quando: terça-feira, 6 de agosto, às 9h30min e 14h

Onde: Escola Jose Assis de Oliveira (rua Paulo Afonso, 4259 – Parque Jari)

- Siqueira/Maracanaú (divisa)

Quando: quarta-feira, 7 de agosto, às 9h

Onde: Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Dr. Sérvulo Mendes Barroso (rua José Martins, 2239 - Bom Jardim)

Quando: sexta-feira, 9 de agosto, às 10h e 14h

Onde: Escola de Ensino Municipal de ensino Infantil e Fundamental Joaquim Alves (Avenida General Osório de Paiva, 8030 - Siqueira)

Natália Coelho ESPECIAL PARA O POVO