Participamos do

Site da Lojas Renner fica fora do ar após ataque hacker

Os sistemas das Lojas Renner, incluindo seu site e aplicativo, ficaram fora do ar nessa quinta-feira, 19, após um ataque cibernético. Ransomware não foi confirmado pela empresa, mas tem sido recorrente nos últimos anos
20:09 | Ago. 20, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Parte dos sistemas das Lojas Renner, incluindo seu site, foi afetada por um ataque cibernético nessa quinta-feira, 19. Os produtos do site, que funciona como uma loja virtual, estavam inacessíveis por volta de 18h45min. Já o aplicativo para Android apresentou a mensagem constando que o “sistema teve uma instabilidade”, por isso não carregou as páginas. Suspeita é de Ransomware, tipo de ataque cibernético

A Renner afirmou em comunicado que seus principais bancos de dados não foram afetados e a atividade nas lojas físicas permaneceu ativa. A empresa destacou que adota rígidos padrões de segurança, mas irá melhorar seus sistemas de modo a adotar mais protocolos de proteção de dados. O caso será notificado às autoridades nos próximos dias, segundo a Renner.

Por volta de 19 horas desta sexta-feira, 20, tanto o site quanto o aplicativo da empresa ainda estavam indisponíveis. No site, lia-se a mensagem: “Estamos com uma indisponibilidade sistêmica e nosso time está trabalhando para normalizar o acesso ao nosso site e APP o mais rápido possível”.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Pagamento de R$ 5,4 bilhões

Desde o ataque aos sistemas da Renner, tem circulado nas redes sociais uma imagem do que seria um pedido dos autores do crime. Em troca dos sistemas criptografados da empresa, os autores teriam solicitado US$ 1 bilhão (cerca de R$ 5,4 bilhões, em conversão direta), valor a ser pago em criptomoedas. As Lojas Renner não confirmaram a informação.

Notificação do Procon-SP

O Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor de São Paulo (Procon-SP) notificou as Lojas Renner ainda na quinta-feira, solicitando informações relacionadas ao ataque hacker. Uma manifestação da empresa é esperada pelo órgão até a próxima quinta-feira, 25.

A Renner foi orientada pela autarquia a informar quais dados foram atingidos; qual foi o nível de exposição; por qual período de tempo o site ficou indisponível e se houve vazamento de dados pessoais de clientes e de outras informações estratégicas.

Ainda, o Procon-SP demandou explicações sobre o plano de proteção e recuperação desempenhado pela Renner; a data prevista para solução definitiva do problema; e qual o processo de criptografia utilizado na coleta, tratamento e armazenamento de dados dos clientes.

Ataques de ransomware

Apesar de as Lojas Renner não terem confirmado que a queda de seus sistemas ter sido causado por um ransomware, esse tipo de vírus tem protagonizado ataques cibernéticos. Uma das vítimas, a empresa JBS, precisou pagar US$ 11 milhões aos autores do ataque para retomar acesso aos seus sistemas. Antes do pagamento, as atividades da empresa nos Estados Unidos, no Canadá e na Austrália foram interrompidas por conta do ransomware.

O que é um ransomware?

Um ransomware é um tipo de ataque cibernético em que dados de sistemas são infectados, ou bloqueados, e um “resgate” monetário é cobrado para se ter acesso novamente. O primeiro registro de um ataque nesse formato foi em 2005 nos Estados Unidos. Segundo a companhia Cisco Systems, é o formato de malware mais rentável da história.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags