Participamos do

Surface Duo: com vendas fracas, Microsoft dá 70% de desconto em celular

Anunciado em outubro de 2019, aparelho foi lançado em agosto de 2020 com especificações já defasadas para a época; desconto de 70% do Surface Duo equivale a corte de quase US$ 1.000 no preço original
09:52 | Jul. 10, 2021
Autor Bemfica de Oliva
Foto do autor
Bemfica de Oliva Repórter
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Surface Duo, celular da Microsoft com Android anunciado em 2019 e colocado à venda somente em 2020, está com um corte gigantesco no preço. Originalmente vendido a US$ 1.400 (cerca de R$ 7.360 na cotação de hoje), o aparelho está sendo vendido na plataforma Woot, da Amazon, por US$ 409 (aproximadamente R$ 2.150) na versão de 256 GB. O desconto equivale a 70,7%, US$ 991 ou R$ 5.200.

A oferta é limitada a clientes dos Estados Unidos, onde a Woot opera, e a dez unidades por usuário. O Surface Duo não foi lançado oficialmente no Brasil.

Surface Duo foi aposta arriscada da Microsoft e não deu certo

No evento em que anunciou o Surface Duo, a Microsoft parecia disposta a apostar alto em aparelhos inovadores. Ela revelou novas gerações dos computadores Surface - que já foram atualizados novamente, em 2020 - além do celular Duo e do Surface Neo, espécie de Notebook que, em vez de uma tela e teclado, tinha duas telas.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Enquanto o Surface Duo vinha com Android de fábrica, sendo o primeiro celular da Microsoft com o sistema (e o primeiro celular da Microsoft após a empresa abandonar o Windows 10 Mobile, seu sistema para smartphones), o Neo teria uma releitura do popular sistema da fabricante, chamado Windows 10 X, com adaptações para ser usado em duas telas. Eventualmente o projeto do Neo foi engavetado, e o Windows 10 X se transformou em um concorrente ao Chrome OS, da Google, com foco em computadores de baixo custo.

Algum tempo depois, o próprio Windows 10X foi cancelado pela Microsoft. Algumas das mudanças mais significativas do sistema, como o menu iniciar centralizado e as bordas arredondadas nas janelas, foram adotadas no Windows 11, cuja versão de testes já está disponível, com a definitiva prevista para o fim do ano.

Assim como o Neo, o Surface Duo apostava em adaptações para o display duplo: apesar de ser dobrável, como a linha Galaxy Fold, da Samsung, o celular tinha duas telas, e não uma flexível. A ideia era apostar em usuários que dependem muito de produtividade e multitarefa, como executivos, podendo rodar vários aplicativos ao mesmo tempo nos visores.

A proposta não agradou. Pelo preço que pedia a Microsoft, era possível comprar aparelhos com perfomance melhor, como o iPhone mais caro ou o modelo topo de linha da família Galaxy Note, enquanto as especificações do Surface Duo chegaram ao mercado já defasadas, como o processador de 2019, a câmera única na parte frontal, e as bordas largas ao redor da tela. Em aparelhos mais baratos, esses problemas poderiam ter sido relevados, mas em um smartphone de US$ 1.400, o público não perdoou.

Como resultado, o Surface Duo teve sucessivos cortes no preço, tanto no varejo quanto oficialmente pela Microsoft. No caso da oferta da Woot, que geralmente limita a três unidades por cliente, e para este modelo permite que usuários comprem até dez de uma vez, parece haver um esforço significativo para "se livrar" do estoque.

Últimas notícias sobre Microsoft

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags