PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Sol artificial? Coreia do sul produz reator com 7x mais energia que o sol

O equipamento alcançou um recorde entre os reatores de fusão nuclear

12:29 | 30/12/2020
O K-Star recria fusão que acontece no sol

 (Foto: DIVULGAÇÃO National Fusion Research Institute)
O K-Star recria fusão que acontece no sol (Foto: DIVULGAÇÃO National Fusion Research Institute)

O reator K-Star também é conhecido como Sol Sul-coreano. A energia gerada pelo mecanismo ocorre através da fusão de núcleos atômicos, diferente das bombas nucleares, que acontecem por fissão. A ideia é tornar o planeta Terra cada vez mais autossustentável e diminuir a emissão de gases na atmosfera.

No dia 24 de novembro, o K- Star chegou a atingir 100 milhões de graus Celsius em 20 segundos, o valor é quase sete vezes o do núcleo do sol, equivalente a 15 milhões de graus Celsius. O equipamento não é o primeiro de fusão nuclear no mundo, mas alcança um novo recorde.

De acordo com o site Science Daily, para recriar a fusão do sol, isótopos de hidrogênio precisam ser colocados dentro do dispositivo de fusão, para criar um estado em que os íons e elétrons são separados, e que os íons devem ser aquecidos e mantidos em altas temperaturas.

Desde que assinou o Acordo de Paris, em 2015, a Coreia do Sul tem adotado medidas para reduzir o uso de energias derivadas de carbono, para diminuir a emissão de gases na atmosfera, e apostando em fontes renováveis. A mudança tem como objetivo evitar impacto nas mudanças climáticas. No acordo, o país declarou que, até 2050, irá parar de usar energias de carbono, como o petróleo.