PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Samsung venderá Galaxy S21 sem carregador e fone de ouvido na caixa

Novo modelo top de linha da fabricante sul-coreana não contará com acessório, conforme documento da Anatel

09:28 | 08/12/2020
Principal mudança deve ser na traseira dos aparelhos, cujo módulo de câmera ficará maior e se integrará à moldura das laterais (Foto: Reprodução/Twitter/@OnLeaks)
Principal mudança deve ser na traseira dos aparelhos, cujo módulo de câmera ficará maior e se integrará à moldura das laterais (Foto: Reprodução/Twitter/@OnLeaks)

Parece que virou moda. Menos de dois meses depois da Apple anunciar a venda dos novos aparelhos da linha iPhone 12 sem acessórios na caixa, tudo indica que o modelo de vendas será replicado no mercado também pela concorrente Samsung. Em certificado de conformidade técnica dos aparelhos que integrarão a linha Galaxy S21, a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) detalhou que os celulares não serão vendidos com carregador ou fones de ouvido.

Os três modelos da nova linha foram homologados pela agência reguladora, todos com suporte a dois chips de operadora. As baterias também passaram por certificação da agência. Os aparelhos testados estão sendo fabricados nas unidades da Samsung em Campinas e Manaus. A empresa ainda não se pronunciou oficialmente sobre as vendas sem os acessórios incluídos na caixa.

Os Galaxy S21, S21 Plus e S21 Ultra deverão ser lançados ainda no primeiro trimestre de 2021. Com produção nacional, os aparelhos deverão contar com melhorias na tela, na qualidade da câmera e do processador. Além disso, novidades como a compatibilidade com 5G e suporte à caneta S Pen do Galaxy Note também podem pintar no novo modelo.

Apesar de atualmente cogitado como S21, por ter como antecessora a linha S20, a nomenclatura do modelo ainda não foi oficialmente confirmada. Rumores, inclusive, apontam que a desenvolvedora pode optar pelos nomes S30, S30+ e S30 Ultra, ou outra variação. Todos os modelos da nova linha foram aprovados tecnicamente pela Anatel.

Post removido

Uma das polêmicas que antecederam a nova decisão estratégica da Samsung ocorreu em outubro deste ano, quando a página oficial da Samsung Caribe no Facebook fez publicação de tom provocativo à Apple. O post incluía a foto de um carregador da marca, em fundo brando, e trazia na legenda, em inglês: “Seu Galaxy oferece tudo o que você está procurando. Desde o mais básico, como um carregador". Pouco tempo depois, a conta apagou a publicação.

No Brasil, a decisão da Apple de vender os novos celulares sem os acessórios que tradicionalmente vinham com a compra causou incômodo a parcela preponderante dos consumidores, sobretudo, devido aos altos custos da marca iPhone no país. O caso foi parar no Procon, que exigiu que a empresa entregasse o carregador aos clientes que solicitassem.

De acordo com a Apple, a escolha foi para reduzir a emissão de carbono e lixo eletrônico, além de argumentar que os usuários da marca poderão utilizar fontes de alimentação de aparelhos antigos sem afetar o desempenho da nova linha. O Procon respondeu, em nota, que a empresa não demonstra ganho ambiental concreto com a alteração.