PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Golpe do WhatsApp: abono Emergencial de Natal de R$ 800 é mentira; entenda

Governo Federal não prorrogou ou criou novos auxílios. A mensagem vem ciculando via WhatsApp e pode roubar dados pessoais do usuário, como nome e CPF, sendo utilizados para benefício financeiro dos golpistas

13:18 | 30/10/2020
Mensagem do abono de R$ 800 é falsa (Foto: Reprodução/Kaspersky Lab)
Mensagem do abono de R$ 800 é falsa (Foto: Reprodução/Kaspersky Lab)

Uma mensagem no WhatsApp vem anunciando um suposto novo benefício do Governo Federal: um Abono Emergencial de Natal no valor de R$ 800. Porém, o recurso é falso e leva o usuário a fornecer dados pessoais que poderão ser roubados posteriormente. A veracidade do benefício foi analisada por especialistas da empresa Kaspersky Lab, especializada em verificar malefícios no mundo online. Os golpes envolvendo recursos como auxílios do governo federal, promoções ou datas comemorativas são os típicos perfis brasileiros encontrados pela empresa.

A fraude começa com uma mensagem via WhatsApp, afirmando que beneficiários do Auxílio Emergencial, Bolsa Família e pensionistas teriam direito ao recurso de R$ 800. Ao clicar o link da mensagem, é aberta uma página fraudulenta com o logo do Governo Federal e os usuários são convidados a responder um questionário com dados privados, como nome e CPF. 

LEIA TAMBÉM | Para evitar golpes, cadastro de chaves do Pix deve ser feito somente em canais de financeiras

Por fim, para confirmação de que o suposto beneficiário não é um "robô", o site oferta um link para compartilhar a inscrição do abono no status do Facebook, onde um SMS de confirmação será enviado. É aí no qual acontece o golpe, segundo os analistas.

Ao realizar a confirmação, os dados do usuário são usados para a contratação de um serviço pago de telefonia móvel. Os dados então são então utilizados em cadastros de outras plataformas, visando o ganho financeiro para os fraudadores. Outros ataques, como o phishing, podem surgir dessas iniciativas.

Os golpes no WhatsApp rodeam o perfil brasileiro de receber notícias via aplicativo, além das dificuldades de diferenciar quando um fato é verdadeiro ou falso. No caso da mensagem do abono de natal, é perceptível os erros de ortografia e um site diferente sem ligações com bancos brasileiros.

Até julho deste ano, cerca de 3 milhões de brasileiros foram clonados via WhatsApp. Neste golpe, as clonagens de cartão de crédito é um dos crimes digitais mais comuns, mas há a possibilidade de outros ocorrerem. Abertura de contas, assinatura de serviços e realização de empréstimos são alguns deles.

LEIA TAMBÉM | Não é verdade que vacina contra a Covid-19 cause câncer, danos genéticos ou "homossexualismo"

Para evitar o compartilhamento desse e outros golpes via WhatsApp, é necessário tomar alguns cuidados prévios:

> suspeitar de links recebidos via email, SMS ou WhatsApp - principalmente quando o endereço parece suspeito ou estranho;

> verificar o endereço do site quando clicado o link;

> verificar a veracidade do fato ou do benefício federal através dos canais oficiais da pasta ou em perfis das redes sociais da empresa;

> na dúvida da veracidade do benefício, não inserir os dados pessoais;

Auxílio emergencial segue até dezembro, sem valor de R$ 800

O ministro da Economia, Paulo Guedes, negou que o benefício do auxílio emergencial seja estendido até 2021. "Não haverá prorrogação do auxílio até junho de 2021. Não existe articulação para isso", afirmou a jornalistas no início de outubro.

O auxílio emergencial foi criado originalmente para durar três meses (tendo como base os meses de abril, maio e junho). Depois, o governo prorrogou por duas parcelas (julho e agosto) por meio de um decreto. Para essas prestações, cada parcela foi de R$ 600. Depois, em mais uma prorrogação, até dezembro, o benefício foi reduzido para R$ 300.