PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Microsoft recupera data center que ficou dois anos no fundo do mar; dos 855 servidores no equipamento, apenas oito foram danificados

O equipamento era mantida energizado no fundo do mar e "utilizava a baixa temperatura das águas profundas como sistema de refrigeração"

07:14 | 16/09/2020
Equipamento passou dois anos no fundo do oceano (Foto: Jonathan/ Microsoft)
Equipamento passou dois anos no fundo do oceano (Foto: Jonathan/ Microsoft)

Depois de passar dois anos submerso no fundo do oceano, na costa de Orkney, na Escócia, um Data Center foi recuperado pela Microsoft. De acordo com informações divulgadas pelo site Olhar Digital, nesta terça-feira, 15, o equipamento foi removido para que sua 'eficiência energética" pudesse ser testada- como parte do Projeto Natick- que testa o funcionamento de aparelhos de computação colocados embaixo d’água". Entre os 855 servidores que funcionavam no data center, somente 8 apresentavam defeito. 

O equipamento era mantida energizado no fundo do mar e "utilizava a baixa temperatura das águas profundas como sistema de refrigeração". Segundo reportagem, especialistas realizaram uma análise após a recuperação da estrutura e se surpreenderam com o resultado.

| LEIA MAIS |

Após 48 anos, Sony vai fechar fábrica de TV, câmeras e áudio no Brasil

Chamada Verificada: Google lança função que promete bloquear chamadas chatas

Os resultados da análise feita por especialistas apontou ainda que os cilindros tinham "menos problema" do que aqueles que permaneciam em equipamentos localizados na superfície. 

Os profissionais a frente da testagem acreditam que a atmosfera de nitrogênio e a ausência de pessoas "batendo" no sistema contribuíram para os resultados. O projeto busca descobrir se esse método traz vantagens financeiras.