PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

LG lança celular Wing com tela giratória

Aparelho tem display secundário "escondido" sob o principal, que pode realizar funções auxiliares

Bemfica de Oliva
07:08 | 16/09/2020
Ainda não há informações sobre preço ou data de lançamento do aparelho, que conta com display principal giratório de 6,8
Ainda não há informações sobre preço ou data de lançamento do aparelho, que conta com display principal giratório de 6,8" e secundário de 3,9" (Foto: Divulgação/LG)

A fabricante sul-coreana LG anunciou nessa segunda-feira, 14, o celular Wing, que possui uma tela secundária giratória. O display auxiliar fica "escondido" sob o principal, sendo ativado apenas quando o usuário desejar. Detalhes sobre o smartphone já haviam vazado anteriormente.

O aparelho tem tela principal de 6,8" com resolução Full HD+, enquanto a secundária é de 3,9" com resolução de 1080x1240 pixels. Ambas têm tecnologia Amoled, que garante cores mais vivas e melhor contraste. O mecanismo de rotação suporta, segundo a fabricante, pelo menos 200 mil usos.

A empresa mostra alguns casos de uso para a novidade: é possível usar aplicativos de navegação no trânsito, por exemplo, enquanto a tela secundária mostra informações como reprodução de músicas, além de permitir atender ou rejeitar chamadas. Outra possibilidade é em games, com o display auxiliar mostrando informações enquanto o principal foca na jogabilidade, e assistindo a vídeos, em que é possível responder mensagens ou controlar a reprodução da mídia sem deixar de exibir o conteúdo.

Há três câmeras na traseira: um sensor principal de 64 MP e dois grande-angulares: um de 12 MP e um de 13 MP específico para uso com a tela girada. Neste modo, controles de estabilização estilo gimbal aparecem na tela secundária. A câmera frontal de 32 MP usa um mecanismo de elevação para aparecer somente quando é usada, e não ocupa espaço na tela.

Por dentro, há uma bateria de 4.000 mAh, um processador Snapdragon 765G com suporte a redes de quinta geração, 8 GB de RAM e armazenamento de 128 ou 256 GB. Podem ser usados chips de duas operadoras, ou um chip e um cartão de memória. O corpo é de metal, disponível nas cores "cinza aurora" e "céu ilusão".

O aparelho marca uma nova estratégia da empresa, pelo "Explorer Project" ("Projeto Explorador", em português). O objetivo é trabalhar inovações em relação ao restante do mercado de celulares, que nos últimos anos tem focado no aprimoramento de recursos já existentes, com poucas funcionalidades novas nos aparelhos.

Não há detalhes sobre data de lançamento ou preço, apesar de rumores indicarem algo perto de US$ 1.000 (cerca de R$ 5.300 em conversão direta). Não há, também, previsão se o celular será vendido no Brasil.