PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Iphone 12 pode custar até R$ 9 mil e não incluir carregador e fones de ouvido na caixa

O POVO fez um compilado com as principais mudanças do novo Iphone. Confira!

09:50 | 30/06/2020
Design do Iphone 12 feito por fã (Foto: Reprodução de Tela/ConceptsiiPhone)
Design do Iphone 12 feito por fã (Foto: Reprodução de Tela/ConceptsiiPhone)

Sem carregador e fones de ouvido na caixa, custando cerca de R$ 9 mil. Assim devem ser os novos smartphones da Apple, que está perto de lançar o iPhone 12. Portais e sites especializados apontam as principais mudanças.

Segundo o jornal O Tempo, a Apple não deve mais incluir o carregador e fones de ouvido na caixa do smartphone que, nos últimos anos, tem saído por até R$ 9 mil no Brasil. As próximas gerações de iPhones virão, apenas, com o cabo USB. A informação, do analista Ming-Chi Kuo, que historicamente adianta detalhes de lançamentos da maçã, foi divulgada no domingo, 28. A Apple não comentou o assunto.

Apesar de serem rumores, Kuo afirma que recebeu informações internas da empresa sobre a não inclusão do carregador na caixa. Segundo ele, o custo de produção dos iPhones deve ser significantemente maior neste ano devido à implementação da conectividade 5G. Com isso, a empresa espera reduzir gastos com a entrega de acessórios aos consumidores.

O analista diz que isso pode ocorrer, inclusive, com parte da linha atual de iPhones. Até o final do ano, a Apple deve parar de incluir o carregador nos smartphones mais baratos, da linha SE, lançados há alguns meses. Contudo, iPads devem manter o acessório na caixa, relata Kuo.

Já conforme o site Olhar Digital, o outro motivo seria ecológico: ambientalistas criticam fabricantes de smartphones, inclusive a Apple, por incluir carregadores USB e fones de ouvido com seus produtos, já que os consumidores provavelmente têm vários deles em casa. Estes acessórios desnecessários contribuiriam para o acúmulo de lixo eletrônico.

Se a Apple mantiver o ritmo dos anos anteriores, os novos iPhones devem ser anunciados em setembro, e chegar ao mercado já rodando o recém-anunciado iOS 14.

Mais sobre as mudanças

O site especializado Cantal Tech listou as principais mudanças do novo smartphone da Apple:

Data de lançamento e preço
Considerando que a Apple sempre realiza seu evento dedicado exclusivamente para o iPhone em setembro, pode-se inferir que o lançamento do iPhone 12 também deve acontecer no mesmo mês.

Entretanto, segundo a Bloomberg, com o surto do novo coronavírus interrompendo o desenvolvimento do smartphone, não se descarta a possibilidade de um atraso do lançamento do iPhone 12 em um mês. Já a Digitimes liga o atraso à dificuldade da Apple em fazer os testes necessários com o 5G. Tudo vai depender de como o mundo ainda lidará com os casos da Covid-19.

No que diz respeito aos preços dos iPhones 12, entusiastas da marca podem se animar, pois a Apple não deve aumentar o preço dos modelos significativamente por causa do 5G. Segundo o analista de tecnologia Jon Prosser, os valores serão bastante semelhantes à geração passada. Veja:


Design
É quase certo de que o iPhone 12 não apresentará uma ruptura no design tão característico da linha, que estreou com o polêmico notch no iPhone X. Mas devem haver mudanças pontuais no novo aparelho.

A primeira diferença seria nos tamanhos das telas. O modelo mais “básico” teria 5,4 polegadas — o que seria uma opção para quem sente saudade de um iPhone pequeno. Já os outros dois modelos teriam 6,1 e 6,7 polegadas, respectivamente — o mesmo do iPhone 11 Pro e iPhone 11 Pro Max. Segundo relatório do analista Ming-Chi Kuo, haveria mais uma variante de 6,1 polegadas.

A segunda diferença estaria relacionada às suas dimensões. Especulava-se que os iPhones teriam uma redução considerável nas bordas e no notch, de modo a aumentar o espaço na tela. No entanto, recentemente apareceu um modelo baseado em CAD do iPhone 12 que ilustra laterais retas e recorte grande para abrigar câmera e sensores na parte frontal.

Houve relatos de que a Apple estaria planejando retirar o Face ID na parte frontal e incluir um leitor de impressões digitais na tela, mas um relatório da CNBC indica que a Apple vai apresentar um novo sistema de desbloqueio facial.

A localização dos botões liga/desliga e volume também podem mudar com os próximos modelos: o primeiro pode surgir localizado do lado direito, enquanto os outros, do lado esquerdo. Já a moldura de metal largaria o visual mais arredondado e apostaria no ‘quadradão’, assim como no antigo iPhone 4.

Outra característica que chamou a atenção foi um conector localizado do lado esquerdo do suposto modelo, que é semelhante aos conectores magnéticos das versões mais recentes do iPod Pro.

Outra novidade é que o iPhone 12, e suas outras duas versões Pro e Pro Max, também podem contar com uma nova cor: azul-marinho. Ela deve substituir o verde meia-noite.

Tela
A Apple também promete trazer outras novidades: todos os novos iPhones terão display OLED, mas a fabricação não será somente da Samsung — a LG Display vai fabricar a tela de um dos modelos de 6,1 polegadas, enquanto a sul-coreana ficará responsável pelos iPhones de 5,4’’ (iPhone 12), 6,1’’ (iPhone 12 Pro) e 6,7’’ (iPhone 12 Pro Max).

A chinesa BOE também apareceu como potencial fabricante das telas do iPhone 12, porém, não teve sua participação aprovada pela Apple. Vale lembrar que a Samsung é a maior fabricante de painéis OLED do mundo e atualmente a maior fornecedora da Apple. A LG entrando na divisão quebra o monopólio da rival e diminui a dependência da Apple em relação à sul-coreana.

Taxas de atualização mais altas viraram tendência em 2020 e, ao que tudo indica, a Apple vai seguir os concorrentes e incluir uma tela com 120 Hz no iPhone 12 — ao menos nos modelos mais caros. Com a chegada do iOS 14, novo sistema da Apple para iPhones, apareceu uma nova opção nas configurações de acessibilidade que limita a 60 a taxa de quadros por segundos.

Embora não esteja nada confirmado, vale lembrar que a opção também aparece disponível no novo iPad Pro — que tem tela 120 Hz. Sendo assim, a opção também daria a possibilidade de o usuário limitar a taxa de quadros para economizar energia.

Bateria
Graças a um redesign em sua fonte de energia, segundo rumores, a bateria pode chegar a ser até 50% mais fina.

Os modelos atuais, iPhone 11 e iPhone 11 Pro Max, contam, respectivamente, com 3.110 mAh e 3.500 mAh. Por conta das supostas mudanças que estão programadas, o iPhone 12 promete superar todos os modelos lançados até agora em capacidade de energia.

Essa mudança na bateria do iPhone 12 pode, inclusive, contribuir para o projeto da Apple de implementar a conexão 5G nos novos modelos, uma vez que o espaço deixado pela bateria também pode ajudar no uso de antenas mais espessas.

O iPhone 12 também deve ganhar suporte para carregamento rápido de 20 W — ao menos em suas versões mais potentes. De acordo com o site chinês MySmartPrice, um suporto adaptador de energia USB-C da Apple foi certificado e as informações batem com uma imagem vazada do mesmo acessório.

Desempenho e 5G
Um relatório divulgado pela Fast Company indicou que a Apple não só estaria disposta a equipar seus smartphones com a tecnologia, como também projetar sua própria antena 5G — isso eliminaria a dependência de outras empresas, como a Qualcomm, porém esbarra em algumas dificuldades.

Na última semana, no entanto, um vazamento indicou que a Apple está preparando o lançamento de mais dois modelos do iPhone 12, estes com 4G e tela LCD — aparentemente, a Apple pode estar mirando nos mercados que ainda não possuem a tecnologia mais avançada, como o brasileiro.

Câmeras
Outra mudança no iPhone 12 pode estar na câmera. Segundo o site Digitimes, ele ganhará um estabilizador de imagem mais avançado, que moveria os elementos da imagem para dentro de seu módulo, adotando, de uma vez por todas, uma tecnologia de sensor-shift ao invés de manter a estabilização na lente.

Assim, a nova câmera pode detectar movimentos indevidos em qualquer direção, não somente na vertical ou horizontal, como funciona a estabilização óptica de imagem (OIS). Essa é uma característica das câmeras profissionais que as torna tão requisitadas — e poderá ser implementada pela Apple.

No entanto, segundo relatório divulgado pela Fast Company, tudo pode se tratar, ao mesmo tempo, de um reajuste para novas lentes 3D do tipo ToF na câmera traseira, que permitem uma captura a distâncias muito maiores. Essa tecnologia já existe no mercado há um ano e está cada vez mais presente nos principais smartphones premium e intermediários, como o Galaxy S20 Ultra e o Galaxy A71.

O analista Ming-Chi Kuo e o site japonês Mac Otakara acreditam que o iPhone 12 (5,4'') e o iPhone 12 Pro (6,1'') contarão com duas câmeras traseiras, enquanto as versões de 6,7 e 6,1 polegadas trarão câmeras triplas com sensor ToF 3D. No entanto, outra informação é de que os modelos mais potentes tragam sensor LiDAR — também presente no iPad Pro (2020) e que promete ajudar o dispositivo a tornar o uso da realidade aumentada mais preciso.

No que diz respeito à resolução, acredita-se que Apple inclua um sensor principal de 64 MP no iPhone 12 (sem versão mencionada). O modelo em questão é o Sony IMX686, focado em smartphones premium.

Já em relação à câmera frontal, Ming-Chi Kuo acredita que o iPhone 12 contará com menos sensores para diminuir o notch, embora não fale da resolução. No entanto, analistas do Barclays sugerem que a Apple trará a tecnologia TrueDepth atualizado.

LEIA TAMBÉM | Que smartphones comprar com o preço do novo iPhone?