PUBLICIDADE
Tecnologia
NOTÍCIA

Apple anuncia novas versões de seus sistemas para computadores, iPhone e iPad

Durante WWDC, evento anual que desta vez ocorreu exclusivamente online, a empresa anunciou atualizações de software para seus principais produtos

Bemfica de Oliva
07:41 | 23/06/2020
Novo iOS traz widgets na tela inicial, entre outras novidades; sistemas para iPad, Apple Watch, computadores Mac e Apple TV também ganharam atualizações (Foto: Divulgação/Apple)
Novo iOS traz widgets na tela inicial, entre outras novidades; sistemas para iPad, Apple Watch, computadores Mac e Apple TV também ganharam atualizações (Foto: Divulgação/Apple)

A Apple lançou, na tarde desta segunda-feira, 22, as novas versões dos sistemas operacionais para seus principais produtos. Os novos tvOS 14 (Apple TV), iOS 14 (iPhones), iPadOS 14 (iPads), watchOS 7 (Apple Watch), e MacOS 11 (computadores) começarão a ser distribuídos nas versões de testes em julho. As versões definitivas chegam entre setembro e dezembro.

As novidades foram anunciada durante a WorldWide Developers Conference (WWDC), evento anual mais importante da empresa. Este ano a conferência foi realizada de forma totalmente online, devido à pandemia de coronavírus.

Widgets na tela inicial finalmente chegam no iOS 14

Função já existente no Android desde seu lançamento, em 2009, a possibilidade de adicionar widgets, pequenos "pedaços" dos aplicativos com as funções mais utilizadas, na tela inicial agora é realidade no iOS 14. A função já existia desde a versão 8 do sistema, lançada em 2014, mas ficava restrita à área de notificações do aparelho. Eles podem ser agrupados em uma "galeria", bastando deslizar o dedo para visualizar cada widget, para poupar espaço no display. Há também a possibilidade de customizar a exibição por hora, localização ou atividade que está sendo realizada pelo usuário.

Ainda na tela inicial, outra novidade são as App Libraries, que agrupam automaticamente os aplicativos em pastas de acordo com suas funções. É possível ter separados, por exemplo, aplicativos de redes sociais, entretenimento, jogos, produtividade e uma lista com os baixados recentemente. As pastas ficam na última página da tela inicial, mais à direita, mas o usuário pode remover as outras páginas e usar somente a App Library.

Uma mudança importante no iOS 14 é que agora os usuários finalmente poderão alterar os aplicativos padrão de internet e e-mail. Embora alternativas ao Safari e ao Apple Mail existam desde as primeiras versões do sistema, a empresa não permitia definir estes aplicativos como o padrão - ao clicar em um link numa conversa, por exemplo, o Safari era aberto automaticamente, o mesmo acontecendo para botões de "enviar e-mail" em sites. Este compotamento enfim foi alterado no iOS 14.

Outra função solicitada há tempos pelos fãs da empresa, o Picture-in-Picture (PiP) permite assistir a vídeos enquanto acessa outros aplicativos, com uma janela flutuante exibindo a mídia reproduzida. A assistente virtual Siri também recebeu um redesenho e não ocupa mais a tela inteira, assim como o aviso de chamada recebida.

Os App Clips chegam, por sua vez, como uma "versão essencial" de alguns aplicativos, para facilitar o uso. Através do escaneamento de um QR Code, o aparelho baixa uma alternativa menor ao aplicativo, que oferece acesso às funções mais utilizadas sem ser necessário baixar o app completo ou realizar cadastros.

No aplicativo Mensagens, as principais novidades são a habilidade de fixar conversas acima das outras mensagens na tela inicial do app, e a capacidade de mencionar usuários e responder mensagens específicas nas conversas em grupo, que agora também podem ser identificados por imagens ou emojis. Os Memojis, figurinhas que utilizam a câmera frontal para reproduzir a aparência do usuário, ganharam mais opções de cabelos e acessórios.

Outras funções anunciadas são as rotas de bicicleta no Apple Maps, novas configurações de privacidade, aplicativo de tradução (similar ao Google Tradutor), e a capacidade dos fones fabricados pela Apple (AirPods Pro, AirPods de 2ª geração, Powerbeats, Powerbeats Pro e Beats Solo Pro - o AirPod original não receberá essa função) trocarem instaneamente entre aparelhos da empresa, como de um iPhone para um computador com MacOS.

Mudanças no iPadOS 14 distanciam tablets de iPhones

Anunciado em 2019 como uma maneira de separar os tablets da Apple da linha iPhone, o iPadOS chega à sua segunda versão (o 14 se deve ao fato de que quase todos os produtos móveis seguem a numeração do iOS, lançado em 2007 com o primeiro celular da empresa) trazendo mais funções de produtividade para aproveitar a tela maior dos dispositivos.

Uma função em comum com o iOS 14 é a nova notificação de chamadas recebidas, que antes ocupava a tela inteira. A Siri, assim como no novo sistema dos iPhones, também passa a funcionar ocupando apenas uma parte do display. Outras novidades em comum são o suporte a widgets e a possibilidade de trocar navegador e cliente de e-mail padrão.

A ferramenta de busca agora tem melhor integração com o sistema, lembrando mais o Spotlight do MacOS que a busca dos iPhones. O suporte ao Apple Pencil, lançado em 2015 com o primeiro iPad Pro, também foi aprimorado: agora é possível usar o acessório para escrever em qualquer campo de texto, em qualquer aplicativo. O sistema também diferencia, no aplicativo Notas, texto escrito de imagens, com a possibilidade de selecionar o texto e colar em outros aplicativos.

O aplicativo Fotos agora exibe uma barra lateral similar à da versão para computadores, marcando mais um distanciamento dos iPhones. Nos últimos anos, a Apple vem focando em vender seus tablets como ferramentas de produtividade, não apenas de consumo de conteúdo, incluindo versões de aplicativos de escritório, de design e mesmo edição de vídeo. Os comparativos de performance mostrados nos lançamentos dos iPads, em vez de terem como base tablets com Android - que nunca tiveram muito destaque - são feitos com notebooks.

Novo watchOS 7 traz funções relacionadas ao coronavírus

Devido à pandemia de coronavírus, que já contaminou mais de 1,1 milhão de pessoas e levou mais de 51 mil a óbito somente no Brasil, uma das novidades mais destacadas do watchOS 7 é a detecção automática de lavagem das mãos. O aparelho usa os sensores de movimento, o microfone e inteligência artificial para detectar se o usuário lavou as mãos por pelo menos 20 segundos, sugerindo que permaneça mais tempo caso detecte que o ato não chegou a esta duração. Há também lembretes automáticos de lavagem ao chegar em casa, com o auxílio do GPS. Informações sobre a frequência e duração média das lavagens estão disponíveis no aplicativo de saúde do iPhone.

Função presente em relógios e pulseiras inteligentes de diversas empresas, finalmente o monitoramento de sono chegou ao Apple Watch. Ele detecta a respiração do usuário, movimentos durante o repouso, e permite exibir no aplicativo Saúde do iPhone informações sobre as tendências de sono na última semana. Há também lembretes de horário para dormir, além de funções que facilitam a saída do estado de alerta, como redução das luzes do iPhone à noite. Há, ainda, um despertador por meio de vibrações do Apple Watch ou de "sons gentis".

Outra novidade importante está nas watch faces, os "temas" para a tela inicial do Apple Watch. Esses temas são personalizáveis e se adequam a atividades que cada usuário realiza. Agora é possível compartilhar um tema, e as personalizações realizadas, com outros usuários.

Por fim, o Apple Watch agora é capaz de reconhecer mais exercícios, como dança, treinamento funcional e exercícios de relaxamento. As novas funções utilizam os sensores de batimentos cardíacos e de movimento para detectar o tipo de atividade física realizada. Há também uma versão renovada do aplicativo para iPhone que monitora essas funções, com relatórios diários separados por tipo de atividade realizada.

Após 19 anos, MacOS passa da versão 10 para a 11

Chegava a ser piada corrente entre entusiastas de tecnologia que o sistema operacional da Apple nunca passaria da versão 10. Anunciado em 2011 como Mac OS X (o X é 10 em algarismos romanos), as iterações seguintes sempre seguiram com as chamadas mudanças incrementais: 10.1, 10.2, até chegar à mais recente, 10.15. Finalmente a situação mudou: chamada de Big Sur, mantendo a nomenclatura relacionada a praias californianas usada desde 2013, o MacOS 11.0 marca a primeira mudança de versão primária no sistema em quase duas décadas.

O anúncio grandioso não vem sem motivos: pode-se considerar que o novo sistema representa uma mudança de mentalidade em diversos aspectos dos computadores da Apple. Isso porque a versão Big Sur tem uma série de melhorias que o aproximam muito das funcionalidades de iOS e iPadOS. Desde mudanças nos ícones, que agora apresentam maior consistência entre aplicativos móveis e desktop, até funções migradas diretamente dos portáteis, como a central de controle e os widgets (que existiam no sistema até a versão de 10.14, mas não eram atualizados desde 2011). Além disso, o MacOS 11 também poderá rodar nativamente aplicativos feitos para iPhone e iPad.

Esta última mudança vem por uma razão significativa: a Apple anunciou que lançará computadores com processadores próprios, e não utilizará mais a Intel como fornecedora para este componente. Com essa novidade, os futuros computadores Mac rodarão com um chip baseado na arquitetura ARM, a mesma dos dispositivos móveis da empresa, garantindo a compatibilidade.

Várias outras questões aproximam MacOS, iPadOS e iOS, como as configurações de privacidade, as mudanças no aplicativo Mensagens e os já mencionados widgets e central de controle. O design renovado da interface, com elementos mais planos, também lembra muito o usado nos portáteis, e é chamado pela empresa de "nossa maior atualização no design em mais de uma década".

Mudanças menores, mais importantes, marcam o tvOS 14

O sistema utilizado na Apple TV e no auto-falante inteligente HomePod também teve atualização anunciada pela empresa. Embora menores, as mudanças trazem ganhos significativos para os produtos.

Para a Apple TV, a possibilidade de múltiplos usuários (limitada, no momento, aos jogos salvos no Apple Arcade), compatibilidade com os novos controles da Microsoft, XBox Elite Series 2 e XBox Adaptive e o suporte à reprodução de vídeos em resolução 4K pelo aplicativo Fotos do iPhone e do iPad são as principais novidades. Há também o modo PiP para reprodução de vídeos em janela separada durante o uso de outros aplicativos, melhorias no som com fones AirPods, e possibilidade de controlar dispositivos de casa conectada compatíveis com o sitema HomeKit da empresa, como câmeras de segurança.

O HomePod recebe menos novidades, mas agora terá o anúncio da chegada de pessoas que sejam reconhecidas como contatos por câmeras ligadas ao HomeKit, e a possibilidade de utilizar serviços de streaming de música além do Apple Music. A Apple não anunciou, porém, quais aplicativos serão suportados.