Participamos do

Campanha de multivacinação para crianças e adolescentes é prorrogada até 30 de novembro

Iniciativa busca alcançar maior público-alvo e melhorar a cobertura vacinal dos mais jovens
17:49 | Nov. 09, 2021
Autor Mirla Nobre
Foto do autor
Mirla Nobre Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

A Campanha Nacional de Multivacinação para crianças e adolescentes menores de 15 anos de idade (14 anos, 11 meses e 29 dias) foi prorrogada até o dia 30 de novembro. A iniciativa busca alcançar maior público-alvo e melhorar a cobertura vacinal dos mais jovens com outras vacinas presentes no Calendário Nacional de Vacinação.

A campanha vem ocorrendo desde o dia 1º de outubro e estava programada para encerrar no último dia 29. Conforme a Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa), até o dia 3 de novembro, o total de 314.326 doses de vacinas aplicadas em crianças e adolescentes no Ceará.

Dando continuidade a campanha, todos os postos de saúde dos 184 municípios cearenses funcionarão para aplicação dos imunobiológicos e verificação da situação vacinal de crianças e adolescentes. Para receber a imunização, basta que as crianças ou adolescentes compareçam ao posto de saúde mais próximo, acompanhados dos pais ou responsáveis, portando o cartão de imunização e documento de identificação com foto.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

De acordo com a coordenadora da Célula de Imunização da Sesa, Kelvia Borges, destaca que a adesão à campanha é fundamental para combater doenças imunopreveníveis. “A vacinação é uma atividade essencial. A multivacinação para crianças e adolescentes possibilita a atualização da caderneta de vacinação e evita que o reaparecimento de doenças já controladas ou erradicadas afetem a população”, afirma.

A coordenadora ainda ressalta que pais e responsáveis que ainda não vacinaram seus filhos devem buscar um posto de saúde próximo à sua residência, e lembra que crianças menores de cinco anos de idade são o grupo mais vulnerável para o adoecimento por doenças imunopreveníveis. Além disso, Kelvia destaca que o retorno às aulas pode possibilitar maior exposição, já que os vírus podem circular novamente em função da não imunização de algumas crianças e adolescentes.

Baixos índices

Os baixos indicadores vacinais no público infanto-juvenil preocupam a Sesa. Isso porque neste ano, nenhum dos imunizantes destinados aos menores de um ano alcançou a meta recomendada pelo Ministério da Saúde, que estipula pelo menos 90% de cobertura vacinal.

A vacina contra tuberculose (BCG), por exemplo, foi aplicada em apenas 58,8% do grupo prioritário entre janeiro e setembro, 31,2% abaixo do percentual mínimo estipulado pelo MS. O índice é inferior ao registrado no mesmo período de 2020 (64,9%). Os imunizantes menigocócica C (66,9%), pentavalente (68%), pneumocócica (65,5%), poliomielite (67%) e tríplice viral (67,4%) também ficaram abaixo do que preconiza o Ministério. 

Veja quais vacinas estão disponíveis:

Esquema vacinal em crianças até 6 anos, 11 meses e 29 dias:
- BCG
- Hepatite B
- Pentavalente
- Poliomielite
- Rotavírus
- Pneumocócica 10
- Meningocócica C
- Febre Amarela
- Tríplice Viral
- DTP
- Hepatite A
- Varicela

Esquema vacinal em adolescentes até 14 anos 11 meses e 29 dias:
- Hepatite B
- Febre Amarela
- Tríplice Viral
- dT
- Meningocócica ACWY
- Varicela
- HPV
- dTpa

Observação 1: A vacina contra a febre amarela não deve ser administrada simultaneamente com a vacina tríplice viral ou tetra viral em crianças menores de 2 anos. O intervalo entre estas deverá ser de 30 dias (mínimo 15 dias).

Observação 2: Devem ser vacinados aqueles que estão com doses incompletas ou que não tomaram nenhuma das vacinas citadas.

Conteúdo sempre disponível e acessos ilimitados. Assine O POVO+ clicando aqui

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags