Participamos do

Como descartar máscaras de proteção de maneira segura e responsável?

No Brasil, as máscaras não eram tão populares e se tornaram um item de produção em massa utilizado por milhares de brasileiros. Saiba como descartar adequadamente as máscaras de proteção
21:07 | Out. 13, 2021
Autor Mateus Brisa
Foto do autor
Mateus Brisa Estagiário
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

As máscaras de proteção facial exercem papel primordial na segurança contra o coronavírus e se tornaram um dos elementos mais associados à pandemia de Covid-19. No Brasil, elas não eram tão populares e, em questão de semanas, se tornaram um item de produção em massa utilizado por milhares de brasileiros e encontrado em diferentes formatos, cores e lojas.

Um novo problema surgiu junto do protagonismo das máscaras no cotidiano da pandemia: o descarte desses produtos de proteção. Além de escolher as máscaras mais adequadas para a defesa do vírus, é importante também que a população compreenda como deve ser feito o descarte correto, pensando nos impactos associados ao meio ambiente.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Máscaras de proteção: como descartar?

A Organização Mundial da Saúde (OMS), assim como produtores de máscaras e a Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (ABES), orienta os consumidores a descartarem os itens de proteção da seguinte maneira:

  • Inserir a(s) máscara(s) em dois sacos plásticos (um dentro do outro) e escrever com caneta ou em um adesivo que o conteúdo se trata de material contaminado/máscaras usadas;
  • Em seguida, descartar na lixeira de resíduos orgânicos ou na lixeira “do banheiro”.

Essas orientações evitam que alguém se contamine com as máscaras, seja em ambientes de coleta domiciliar ou em aterros sanitários. Outro possível caminho é manter os itens contaminados, incluindo máscaras, em “quarentena” antes de realizar o descarte.

Vale ressaltar que especificamente as máscaras de tecido representam maior impacto ambiental, pois alguns tecidos podem levar até 400 anos para se decompor na natureza. A solução mais indicada seria a reciclagem de tecido, processo caro e pouco acessível; como alternativa, é possível seguir a orientação dos dois sacos plásticos ou reutilizar as máscaras de “pano” para outras funções domésticas.

Se considerarmos que uma máscara de tecido pode ser lavada até 30 vezes e que cada brasileiro tem cinco máscaras do tipo, mais de 12,7 bilhões seriam descartadas no País em apenas um ano. Juntas, essas máscaras descartadas equivaleriam ao peso de quase oito mil ônibus e seriam suficientes para lotar nove mil apartamentos de 50m².

Descarte de máscaras: uso fora de casa

Há ainda outras precações durante o uso das máscaras em ambientes públicos. Na rua, o melhor a se fazer é guardar uma máscara inutilizada e descartar somente ao chegar em casa. É importante evitar o descarte de máscaras em lixeiras de rua, impedindo a contaminação de catadores de resíduos sólidos, e em lixeiras de reciclagem.

E o descarte nunca deve ser feito diretamente na rua, pois as máscaras podem acabar em rios e oceanos, prejudicando os mares e os animais, ou entupindo bueiros. 129 bilhões de máscaras são descartadas mensalmente no mundo, segundo estudo de junho de 2020 da Sociedade Americana de Química. Isso indica a importância de um descarte correto desses itens hoje cotidianos, pensando não só nas pessoas, mas também na preservação ambiental.

Com informações de Uol e NeoEnergia

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags