Termo de Uso Política de Privacidade Política de Cookies Conheça O POVO Trabalhe Conosco Fale com a gente Assine Ombudsman
Participamos do

Debate: candidatos deixam ataques a Bolsonaro para as considerações finais

20:40 | Set. 26, 2018
Autor -
Foto do autor
- Autor
Tipo Notícia

Os candidatos à Presidência deixaram os ataques ao candidato Jair Bolsonaro (PSL), afastado da campanha desde que levou facada em ato de campanha em 6 de setembro, para as considerações finais do debate SBT/Folha/UOL.

Ciro Gomes (PDT) voltou a afirmar que o Brasil não aguenta mais esta "polarização odienta que tomou conta da sociedade desde 2014". "O Brasil não aguenta mais esta polarização, garotos se atacando na internet", disse. Ele condenou ainda o voto do eleitor antipetista em Bolsonaro.

Geraldo Alckmin (PSDB) afirmou que a eventual eleição de Bolsonaro vai levar o País "à violência". "A gente não pode errar, porque o PT é responsável por tudo isso aí", afirmou.

Guilherme Boulos (PSOL) apelou ao voto contra o sistema e pediu que a população vote "em quem acredita". Marina Silva (Rede), por sua vez, disse não ter "ódio de ninguém".

Fernando Haddad (PT) se esquivou de entrar em polêmicas e ressaltou os avanços dos governos petistas nas políticas trabalhista e educacional.

Alvaro Dias (Podemos) voltou a atacar o PT nas considerações finais e disse trabalhar contra a volta da "organização criminosa", em referência ao partido de Haddad. Ele disse ainda ter sido expulso do PSDB por apoiar uma CPI e que sempre foi contestador. O senador encerrou a participação dizendo que iria assistir ao jogo do Corinthians contra o Flamengo, na Arena Corinthians.

Henrique Meirelles (MDB) ressaltou as suas gestões no Ministério da Fazenda e do Banco Central. E Cabo Daciolo (Patriota) disse "profetizar" que vai vencer as eleições no primeiro turno.

Agência Estado

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Abner fatura 1º bronze no boxe; Bia vence e avança à semi em Tóquio

Esportes
09:07 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Brasil
Foto do autor
Agência Brasil Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O boxe brasileiro conquistou na manhã desta terça-feira (4) uma medalha de bronze na  Olimpíada de Tóquio (Japão) com Abner Teixeira (91 quilos) e assegurou outra, antecipadamente, com a peso leve Bia Ferreira, única que venceu nesta terça-feira (3), na Arena Kokugikan, na capital japonesa. Favorita ao ouro, a campeã mundial avançou às semifinais na categria até 63 kg. Como na modalidade não há disputa de terceiro lugar, quem ganha nas quartas já garante o bronze. O país tem ainda um terceiro bronze encaminhado com Hebert Conceição (75 kg) que disputa a semi na quinta (5), às 3h (horário de Brasília). 

Conheça os novos prefeitos de Missão Velha, Pedra Branca e Martinópole

ELEIÇÕES
09:07 | Ago. 03, 2021
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Autor
Ver perfil do autor
Tipo Noticia

Eleitores das cidades de Missão Velha, Martinópole e Pedra Branca voltaram às urnas no último domingo, 1º de agosto, para votar para prefeito e vice-prefeito. Os municípios passaram por eleições suplementares, tipo de eleição que ocorre quando, dentre outras situações, os candidato eleitos ficam impedidos de assumir seus cargos por causa de problemas com a Justiça.

Conheça os prefeitos eleitos:

Missão Velha - Dr. Lorim (PDT)

 

Em Missão Velha, 27.602 eleitores votaram em 92 seções, distribuídas em 36 locais. Quem saiu vitorioso foi o médico Dr. Lorim (PDT), candidato que recebeu apoio do ex-ministro Ciro Gomes (PDT). Com 52,84% dos votos válidos, o pedetista é ex-vice-prefeito do município e foi o nome derrotado por Washington, em 2020. O vice é o vereador Rodrigues Roberto, também do PDT.

Pedra Branca - Matheus Góis (PSD)

 

No município de Pedra Branca, os 32.063 eleitores votaram em 129 seções, distribuídas em 71 locais. Com 54,38% (13.060), a população elegeu Matheus Gois (PSD) para prefeito da cidade, da Coligação “Juventude e experiência para uma nova Pedra Branca”. O vice é Francisco David Alves de Melo.

Martinópole - Betão do James Bel (PP)

 

Em Martinópole, 9.347 eleitores votaram em 33 seções, distribuídas em nove locais. O eleito foi Betão Souza (PP), atual prefeito interino do município e presidente da Câmara Municipal. Ele foi escolhido para representar o grupo governista após o ex-prefeito James Bel (PP) renunciar à candidatura. Betão foi eleito com 50,58% dos votos válidos. Junior Fontenele (PL) teve 49,42% dos votos válidos. A diferença entre os candidatos foi de apenas 98 votos.

A coligação “Por um Martinópole cada vez mais forte”, composta por representantes das legendas PP e MDB, decidiu oficializar uma mudança na chapa dias antes das eleições. O vice é o ex-vereador Filipe Félix, o Filipão (MDB). 

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

IPC-S acelera em 2 das 7 capitais pesquisadas no fechamento de julho, diz FGV

ECONOMIA
09:02 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O Índice de Preços ao Consumidor - Semanal (IPC-S) acelerou em duas das sete capitais pesquisadas no fechamento de julho, na comparação com a terceira quadrissemana, informou nesta terça-feira, 3, a Fundação Getulio Vargas (FGV). O IPC-S avançou a 0,92% na última leitura de julho, após registrar 0,90% na terceira do mês passado e elevação de 0,64% em junho. A alta acumulada em 12 meses é de 8,76%, maior do que os 8,73% ocorridos no período até a terceira quadrissemana.
A aceleração mais significativa no IPC-S Capitais foi registrada em Porto Alegre, onde a inflação avançou de 0,77% para 0,90% da terceira para a quarta quadrissemana de julho. São Paulo também teve alta notável, de 0,93% para 1,04%.
Na direção oposta, Belo Horizonte (0,70% para 0,59%) e Rio de Janeiro (0,91% para 0,79%) apresentaram alívio no fechamento do mês. Brasília (1,05% para 0,98%), Recife (1,30% para 1,29%) e Salvador (0,81% para 0,75%) foram as outras capitais analisadas pela FGV que também desaceleraram na última leitura de julho.
Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Arremesso de peso: Darlan Romani atinge marca e está na final da Olimpíada

08:37 | Ago. 03, 2021
Autor Lucas Mota
Foto do autor
Lucas Mota Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O brasileiro Darlan Romani garantiu vaga para a final do Arremesso de Peso. Com apenas duas tentativas, ele atingiu a marca de 21m31 e avançou para a decisão da modalidade na Olimpíada de Tóquio. A briga pelo pódio está prevista para quinta-feira, 5, a partir das 11h05min.

+ "Enquanto você dormia dia 11": ouro na vela, bronze no atletismo e mais medalhas no boxe

Logo no primeiro arremesso, Darlan ficou próximo da marca, quando alcançou 21m. Com o resultado necessário para a classificação para a final atingida na segunda tentativa, o brasileiro não precisa fazer um terceiro lance e aguarda o resultado final desta etapa classificatória para conhecer os adversários da decisão por medalha.

"Demos um passo para a final olímpica. Estou dando 200% aqui. A vaga veio no segundo arremesso. Dia 5, vamos assistir. Estamos em busca de um sonho, como o Alison fez. O que depender de mim, vou fazer 200%", comentou Darlan em entrevista ao SporTV após a prova.

O Alison (dos Santos) citado por Darlan é o brasileiro que garantiu a medalha de bronze nos 400m com barreira.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Waldery Rodrigues deixa cargo de assessor especial de equipe de Guedes

ECONOMIA
08:37 | Ago. 03, 2021
Autor Agência Estado
Foto do autor
Agência Estado Autor
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

Engenheiro e ex-secretário especial de Fazenda do Ministério da Fazenda, Waldery Rodrigues deixou o Ministério da Economia. O Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 2, publica a exoneração, "a pedido", de Waldery do cargo de assessor especial de Relações Institucionais da pasta, cargo que assumiu em maio passado, logo depois de sair da secretaria especial. 

O ato do DOU informa que a saída oficial de Waldery da assessoria de Guedes se deu em 28 de julho de 2021 e foi assinado pelo novo chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira.

Waldery integrava a equipe econômica, antes do governo Bolsonaro. No Ministério da Economia, foi nomeado secretário Especial de Fazenda, cargo que ocupou de janeiro de 2019 até abril de 2021, quando foi substituído por Bruno Funchal que era então secretário do Tesouro Nacional.

À época, seu nome esteve em meio à polêmica entre governo e Congresso Nacional em torno do Orçamento da União de 2021. Mas antes disso já havia um desgaste, quando ele disse que a equipe econômica estudava o congelamento de benefícios como aposentadorias e também a redução do seguro-desemprego. O presidente Jair Bolsonaro, então, disse que daria "cartão vermelho" a quem, dentro do governo, lhe apresentasse propostas de congelar aposentadorias ou reduzir benefícios.

 

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags