De padaria a centro espírita: veja os gastos de Bolsonaro no Ceará com cartão corporativo

As despesas incluem hospedagem, alimentação, serviços para carros e abastecimento de veículos

No cartão corporativo do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) diversas compras realizadas no Ceará ao longo dos últimos quatro anos de gestão. O ex-presidente esteve sete vezes no Ceará durante seu mandato presidencial e gastou pelo menos R$ 307 mil nos mais diversos estabelecimentos.

As despesas incluem hospedagem, alimentação, serviços para carros e abastecimento de veículos. A maioria dos gastos coincide com as datas de visita de Bolsonaro, mas alguns ocorreram dias antes da chegada do ex-mandatário ao Estado.

Os gastos no cartão corporativo não são diretamente feitos pelo presidente da República. Essa despesa pode incluir gastos do chefe do Executivo e de sua equipe mais próxima, como seguranças e assessores que acompanham em viagens, por exemplo.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Os dados foram incluídos, no último dia 6, no repositório de informações classificadas da Secretaria-Geral da Presidência da República e identificados, na última semana, pela agência de dados públicos Fiquem Sabendo – especializada em pedidos pela Lei de Acesso à Informação (LAI).

Até o momento não foram disponibilizadas informações de nenhuma nota fiscal, que mostrariam o produto ou serviço específico adquirido. O POVO entrou em contato para ter mais detalhes sobre as compras, mas ainda não teve retorno a respeito.

Confira alguns dos gastos:

Alimentação

Caktus restaurante, hamburgueria e pizzaria 

Consta uma única compra no valor de R$ 25.589,50 em uma lanchonete localizada em Juazeiro do Norte, a 490 km de Fortaleza. O valor foi debitado do cartão de Bolsonaro no dia 8 de fevereiro de 2022, quando ele cumpriu agenda na barragem Jati, no Cariri, para acompanhar a retomada da liberação das águas da transposição do rio São Francisco.

O restaurante identificado como Caktus afirmou, por meio de nota, que entre os dias 6 e 8 de fevereiro do ano de 2022, após prévia pesquisa de mercado na cidade, o restaurante foi contatado pelo representante da comitiva presidencial para que houvesse o fornecimento de alimentação. A compra teria, segundo o estabelecimento, englobado café da manhã, almoço e jantar para um total de 200 integrantes da comitiva. Bolsonaro, no entanto, não esteve presente no local. 

Supermercado Super Select

Quatro compras feitas entre 23 e 25 de junho de 2020 em um supermercado em Brejo Santo no total de R$ 25.319,68. Bolsonaro, no entanto, chegou em 26 de junho para cumprir agenda em Penaforte, no Cariri, na divisa com Pernambuco, onde acionou comporta da transposição do rio São Francisco. As duas cidades são distantes 44 quilômetros.

Cupim na Brasa Cariri

Localizado em Barbalha, no Cariri, o restaurante aparece na lista com uma compra de R$ 10.437,25 no dia 13 de agosto de 2021. Na data, Bolsonaro esteve em Juazeiro do Norte e Crato, também no Cariri, para entregar unidades habitacionais do programa Casa Verde e Amarela, destinadas a beneficiar 10,8 mil famílias.

Em 17 de novembro de 2020, quando Bolsonaro fez uma breve escala em Juazeiro do Norte, foram destinados R$ 4.206,14. O local foi consultado para mais informações. Caso haja retorno, a matéria será atualizada. 

Centro Espírita O Pobre de Deus

Em uma da visitas, em 26 de fevereiro de 2021, consta também uma compra de R$ 7 mil em um Centro Espírita em Viçosa do Ceará. Na data, Bolsonaro cumpriu agenda em Tianguá, distante apenas 30 quilômetros, cidades da região da Ibiapaba. Foram gastos R$ 7.277,10. O centro foi procurado por meio de ligação e e-mail, e caso haja retorno será incluída resposta. 

Panificadora e confeitaria Benfica

Na mesma visita do dia 26 de fevereiro de 2021, o ex-presidente também esteve em Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). No dia anterior, 25, houve uma compra de R$ 4.800 em uma panificadora no bairro Benfica.

Hospedagem

Serra Grande Hotel 

Em fevereiro de 2021, quando Bolsonaro esteve em Tianguá e, posteriormente, na Região Metropolitana de Fortaleza, com destaque para Caucaia, há uma compra de alimentação e hospedagem, com total de R$ 25.400.

Um funcionário do estabelecimento informou que alguém ligado à presidência ligou para fechar o aluguel para cerca de 50 pessoas. O presidente, no entanto, não ficou no estabelecimento.

Antes da chegada da comitiva, foi feita uma inspeção para saber se teria segurança no local. Segundo ele, quem ficou no hotel era do Exército.

Pousada Serra Verde

No mesmo período, há o registro de mais uma hospedagem em uma pousada no município de Viçosa do Ceará. O total foi de R$ 8.580,00.

Viçosa Hotel de Serra

Na mesma viagem, aparece nos gastos do cartão corporativo uma compra de R$ 12.160 em mais um hotel na cidade de Viçosa do Ceará.

No entanto, em março do mesmo ano, o hotel voltou para posse da Prefeitura e foi transformado em um hospital. Cedido para a iniciativa privada desde 2015, o Viçosa Hotel de Serra vinha sendo motivo de disputa judicial desde que o prefeito Zé Firmino (MDB) foi eleito em 2017. Um decreto pedindo a posse do imóvel assinado pelo gestor foi publicado e o local desativado. 

Verdes Vales

Em 13 de agosto de 2021, Bolsonaro chegou a Juazeiro do Norte e Crato, no Cariri, para entregar unidades habitacionais do programa Casa Verde e Amarela. Foi debitado do cartão corporativo cerca de R$ 36.460.

No ano seguinte, em 8 de fevereiro de 2022, Bolsonaro cumpriu agenda em Jati, mas desembarcou em Juazeiro do Norte para seguir para Salgueiro, em Pernambuco. O mesmo hotel consta nas contas do ex-mandatário, mas, dessa vez, o cartão corporativo destinou mais de R$ 70 mil.

Por telefone, foi informado que mais detalhes sobre a visita do ex-presidente só seriam informados nesta segunda-feira, 16, quando integrantes da gerência estivessem no local. 

Lusitânia Empreendimentos Turísticos

Em fevereiro de 2021, quando Bolsonaro saiu de Tianguá e foi a Caucaia. Na data, foram gastos R$ 47.806,50 para a empresa, que é identificada como administradora do Luzeiros Hotel. O estabelecimento é localizado no Meireles. Foi feito contato pelo telefone, mas não houve retorno.

Acessórios e combustível

Na lista, aparece a compra de materiais de manutenção para automóveis, cerca de R$ 2 mil na Newland, em 26 de julho de 2020, quando Bolsonaro esteve no Ceará. 

Na capital, houve o gasto de R$ 8.424, na Silver Box Locação e Serviços LTDA, empresa que trabalha com aluguel de palcos, coberturas e outras estruturas de uso temporário. A compra foi no dia 19 de outubro de 2021, um dia antes de Bolsonaro desembarcar em Russas. No local, ele assinou contrato e ordem de serviço para o início das obras de recuperação da Barragem Banabuiú, em R$ 15,4 milhões. 

Nos gastos, há pagamentos em postos de gasolina, como ao Tianguá Petróleo, no valor de 
R$ 2.815,46 .


Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar