Participamos do

Eunício sobre candidatura governista: "Quem está no cargo é natural que deseje continuar"

Sobre possibilidade de apoiar ou não o bloco governista, após rompimento com o senador Cid Gomes (PDT) nas eleições de 2018, o ex-senador disse que aguarda futuros diálogos e escolhas de aliados e lideranças do MDB
18:38 | Abr. 27, 2022
Autor Filipe Pereira
Foto do autor
Filipe Pereira Repórter de Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

O ex-senador Eunício Oliveira (MDB) comentou, nesta quarta-feira, 27, a indicação do PDT ao Governo do Ceará nas eleições de outubro. O emedebista disse achar natural que quem já ocupa o cargo do Executivo estadual deva disputar a reeleição, posto comandado pela governadora Izolda Cela (PDT), pré-candidata pedetista ao Palácio da Abolição.

"Pelo MDB falo eu, quem está no cargo é natural que deseje continuar", disse Eunício, sobre uma eventual sucessão de Izolda, que disputa a pré-candidatura do PDT com Roberto Cláudio (ex-prefeito), Evandro Leitão (presidente da Assembleia Legislativa) e Mauro Filho (deputado federal). A manifestação também vai ao encontro com a posição já anunciada por outros emedebistas cearenses, entre eles o deputado Leonardo Araújo, vice-presidente estadual da sigla.

Sobre a possibilidade de oficializar ou não apoio ao arco de alianças do bloco governista, após rompimento com o senador Cid Gomes (PDT) nas eleições de 2018, Eunício reforçou que ainda aguarda futuros diálogos e escolhas de aliados e lideranças do MDB. 

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

"O MDB vai aguardar os fatos e as escolhas partidária. Nós não temos apenas a terceira maior bancada da Assembleia. Nós temos, além disso, uma chapa completa para deputado estadual. Uma chapa completa para deputado federal e temos 18 prefeitos do MDB e dois prefeitos de outro partido que nos seguem, além de vários ex-prefeitos, lideranças expressivas dentro do MDB. Então, eu tenho que respeitar essas lideranças todas", disse o ex-senador.

O ex-presidente do Senado disse que a posição do MDB em torno de tais questões deverá ser tomada de forma "partidária" e não individual. "A posição não será individualizada. Pode fulano ou sicrano ter simpatia por A por B. Certo? A nossa definição será partidária. Foi delegada pra mim como presidente do partido a decisão final. Mas eu disse para eles que, mesmo tendo delegado para mim, essa discussão seria global", afirmou.

No dia 4 de abril, Cid Gomes disse esperar uma futura composição do seu partido com os emedebistas no Estado. “Espero que venha. Eu espero que venha. Quem pode falar melhor é o presidente Eunício Oliveira (MDB)”, afirmou. Ainda sem uma posição firmada, a única definição já tomada, segundo Eunício, é o apoio do MDB-CE à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) à Presidência da República.

"Por esse motivo eu sempre fui lulista, desde a primeira eleição dele [Lula], quando ele perdeu e quando ele ganhou. Votei no (Fernando) Haddad na eleição passada por pedido dele e obviamente vou votar no presidente Lula, essa é a única definição partidária tomada no Estado e a única definição tomada aqui pelo nosso grupo que é o grupo majoritário do MDB".

Atualmente, o MDB integra o arco de alianças com o PT no governo cearense, sigla que compõe aliança com o PDT no Ceará. Nesta segunda-feira, 25, deputados do PT Ceará estiveram em reunião com Izolda Cela, no Palácio da Abolição. O momento emblemático simbolizou o apoio público dos parlamentares petistas ao nome de Izolda para disputar a sucessão pelo bloco governista. Em foto divulgada nas redes sociais, oito deputados aparecem "apontando" para a governadora.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente

Tags

Os cookies nos ajudam a administrar este site. Ao usar nosso site, você concorda com nosso uso de cookies. Política de privacidade

Aceitar