Participamos do

Bolsonaro diz que ligou para Putin e declara que Brasil manterá neutralidade

"No meu entender, nós não vamos tomar partido e vamos continuar pela neutralidade", declarou o presidente, que passa o feriado do Carnaval no Forte dos Andradas, em Guarujá, no litoral de São Paulo
19:18 | Fev. 27, 2022
Autor Henrique Araújo
Foto do autor
Henrique Araújo Repórter Política
Ver perfil do autor
Tipo Notícia

ATUALIZAÇÃO: Declaração de Bolsonaro sobre conversa com Putin causa confusão e Itamaraty explica

Em coletiva de imprensa neste domingo, 27, o presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou ter ligado para o presidente russo, Vladimir Putin, com quem disse haver conversado por quase duas horas. O chefe do Executivo também garantiu que o Brasil manterá posicionamento neutro no conflito com a Ucrânia.

“No meu entender, nós não vamos tomar partido e vamos continuar pela neutralidade. Ajudar no que for possível na busca da solução”, declarou o presidente, que passa o feriado do Carnaval no Forte dos Andradas, em Guarujá, no litoral de São Paulo.

Seja assinante O POVO+

Tenha acesso a todos os conteúdos exclusivos, colunistas, acessos ilimitados e descontos em lojas, farmácias e muito mais.

Assine

Na coletiva, que durou 37 minutos, Bolsonaro justificou a posição do Brasil com o argumento de que não quer “trazer as consequências do embate para o país”.

Questionado sobre vítimas civis nos ataques do exército russo nos quatro dias de conflito, o presidente falou que é “exagero falar em massacre”.

“Eu entendo que não há interesse por parte do líder russo de praticar um massacre. São países praticamente irmãos. Um massacre de civis há muito tempo não se ouve falar. Não é tática de nenhum mundo fazer isso”, argumentou.

Em viagem à Rússia nos dias que antecederam a invasão, Bolsonaro se declarou solidário a Putin. A manifestação foi interpretada como gesto de apoio ao presidente, que vem enfrentando sanções do mundo ocidental na esteira da violação da soberania da Ucrânia.

De acordo com Bolsonaro, porém, seria um erro emitir qualquer avaliação sobre o conflito agora, porque isso poderia representar consequências negativas para o Brasil.

Essa foi a primeira declaração expressa do mandatário brasileiro depois do início da guerra.

Dúvidas, Críticas e Sugestões? Fale com a gente